Cassilândia, Sexta-feira, 24 de Maio de 2019

Últimas Notícias

10/04/2019 12:30

Ministra defende agilidade no registro de defensivos para evitar irregularidades

Correio do Estado

 

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, defendeu nesta terça-feira, 9, maior agilidade no processo de análise e registro de defensivos agrícolas para evitar a entrada ilegal de produtos irregulares no Brasil.

Ela participa nesta tarde de uma audiência pública na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara. Ela foi convidada para falar sobre a liberação de agrotóxicos durante a sua gestão à frente da pasta.

"Cada vez que deixamos por 6, 8 anos um produto, eles acabam entrando de forma ilegal e isso que traz transtornos para o meio ambiente, para as pessoas. Precisamos combater falsificação e contrabando, que está na faixa de 20% do mercado. Isso é muito sério", disse.

A ministra afirmou que em 2019, 93 defensivos agrícolas foram registrados, sendo que 44 destes eram produtos técnicos equivalentes e foram destinados para uso industrial, ou seja, são usados em misturas para herbicidas; 42 eram formulados químicos e 7 eram de baixa toxicidade.

Cristina destacou que do total, 70% dos produtos foram protocolados há mais de 4 anos. "Eles entravam na fila com o pedido de registro mas a fila não andava. Sete produtos estavam na fila há mais de 8 anos", disse.

A ministra disse ainda que neste ano, 7 produtos de baixa toxicidade (biológicos ou para a agricultura orgânica) foram liberados. Ela defendeu que a legislação seja alterada para acelerar a liberação e facilitação dos registros destes produtos Tereza Cristina ressaltou que existiam 5,9 mil produtores orgânicos no país e hoje em dia existem 17,7 mil.

Ela disse também acreditar que haverá expansão deste mercado porque há demanda. "Esse pessoal saúde, fitness, todo quer comer produtos orgânicos. Eles são mais caros, mas as pessoas pagam. É uma questão de mercado e acho que teremos cada vez mais (demanda)", disse.

A ministra afirmou que a legislação brasileira atual é ultrapassada, com muita burocracia e discricionariedade, e só beneficia as grandes empresas que já estão no mercado.

A ministra também lembrou que os pequenos produtores são os que mais sofrem intoxicações com os usos de agrotóxicos e que, por isso, a Pasta quer intensificar os esforços de capacitação para o uso destes produtos.

Logo após a explanação da ministra, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), passou no plenário da comissão para cumprimentá-la, antes do início das perguntas dos parlamentares

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 24 de Maio de 2019
10:00
Receita do Dia
07:20
Atenção motoristas e ciclistas
Quinta, 23 de Maio de 2019
22:00
Loterias
21:45
Loterias
21:42
Loterias
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)