Cassilândia, Segunda-feira, 22 de Abril de 2019

Últimas Notícias

11/04/2005 13:13

Ministério preocupado com incidência de hanseníase

Nielmar de Oliveira / ABr

O Brasil registra por ano cerca de 3 mil casos de hanseníase em crianças de até 14 anos. O dado que se refere à média registrada nos últimos cinco anos preocupa o Ministério da Saúde. "Este é um dado lamentável e que indica que nós estamos permitindo que nossas crianças adoeçam. Um país que já eliminou a poliomielite, o sarampo, não pode permitir que suas crianças adoeçam por hanseníase", lamenta a coordenadora do Programa Nacional de Eliminação da Hanseníase, Rosa Castalia.

O ministério pretende reduzir o número de casos de hanseníase, dos atuais 1,7 para cada 10 mil habitantes, para um caso a cada 10 mil habitantes até o final de 2005. Hoje (11), a Secretaria de Vigilância em Saúde do ministério está discutindo no Rio de Janeiro os resultados do programa de eliminação da doença no Centro-Sul do país.

Na avaliação da coordenadora, sem o engajamento de todas as esferas de governo não será possível atingir a meta estabelecida para este ano. "Com o Sistema Único de Saúde (SUS) tendo estados e municípios como gestores da sua rede básica de saúde, é fundamental que todos assumam as ações de diagnóstico e tratamento da doença. Sem isto, não é possível atingir a meta até o final do ano".

Ainda segundo Rosa Castalia, as principais dificuldades para o controle da doença são a centralização, o preconceito e a desinformação. "Há poucos locais adequados ao tratamento em cada estado e a maioria dos municípios não possui centros de tratamento adequado. O desconhecimento por parte da população e dos serviços de saúde sobre os sintomas das doenças é também um agravante. E a isto se somam o estigma e o preconceito comportamental, que levam os doentes a não procurarem tratamento adequado".

A hanseníase é uma doença causada pelo micróbio Mycobacterium leprae (Bacilo de Hansen), que ataca a pele e os nervos, principalmente dos braços e das pernas. Embora tenha cura, a doença precisa ser descoberta precocemente e tratada de maneira adequada para que não deixe seqüelas.

Serão investidos este ano R$ 13,2 milhões no programa de combate à hanseníase, que tem como principal estratégia integrar as ações de diagnóstico e tratamento da doença na atenção básica. "Isto significa que as equipes do programa Saúde da Família (PSF), Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e todas as Unidades do SUS passam a integrar a rede de atendimento ao paciente, facilitando o acesso universal ao diagnóstico e ao tratamento".

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 22 de Abril de 2019
Domingo, 21 de Abril de 2019
09:00
Santo do dia
Sábado, 20 de Abril de 2019
09:00
Santo do dia
Sexta, 19 de Abril de 2019
11:00
Mundo Fitness
09:00
Santo do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)