Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

12/07/2016 06:45

Ministério cria comitê para sanidade de equídeos após problemas em resultados

Midiamax

O Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) instituiu o Comitê Consultivo do Programa Nacional de Sanidade dos Equídeos (cavalos, burros e jumentos). A decisão saiu após a CRA (Comissão de Agricultura) encontrar inconsistências nos resultados no diagnóstico do mormo.

O comitê foi criado para colaborar na definição de políticas sanitárias para prevenção, controle e erradicação de doenças. A medida foi publicada no Diário Oficial da União de sexta-feira (8). O Brasil tem, atualmente, cerca de 8 milhões de equídeos.

O grupo é formado por integrantes do ministério, como fiscais federais e o secretário de Defesa Agropecuária, Luis Rangel, além de representantes de instituições científicas, entre elas a Universidade Federal de Pernambuco, o Instituto Biológico de São Paulo e a Associação Brasileira dos Médicos Veterinários de Equídeos.

O objetivo do PNSE (Programa Nacional de Sanidade dos Equídeos) tem o objetivo de combater doenças, através da fiscalização, controle de trânsito dos animais, estudos epidemiológicos, educação sanitária e intervenção imediata em caso de suspeita ou ocorrência de doenças de notificação obrigatória.

A doença, que acomete principalmente os equídeos, é contagiosa e pode ser transmitida ao homem. Em Mato Grosso do Sul já há confirmação em 11 cidades.

O mormo é uma doença bacteriana grave e contagiosa que ataca equinos, mas pode também ser transmitida ao homem e a outros animais. Os sintomas são corrimento nas narinas e nódulos nas mucosas nasais e nos pulmões do animal, sendo também frequentes casos assintomáticos. Constatada a doença, o cavalo é geralmente sacrificado para evitar a contaminação de outros animais.

Diagnósticos
Para que os exames sejam seguros, o presidente da Associação Brasileira dos Médicos Veterinários de Equídeos, Rui Vincenzi, defendeu a padronização dos procedimentos para evitar o que chamou de “dança de resultados”. Problemas com o envio de amostras, o acondicionamento e a temperatura, por exemplo, em sua opinião, afetam os resultados.

Atualmente, os Lanagro de Pernambuco e Pará são os mais capacitados para realizar o diagnóstico do mormo, explicou Leandro Barbieri, da Secretaria de Defesa Agropecuária do Mapa. O governo vem trabalhando para expandir essa rede, que conta com seis Lanagros e 28 laboratórios particulares credenciados nacionalmente, disse ainda. Do resultado desses exames, depende a decisão de suspender ou não as atividades de um haras e de sacrificar animais contaminados.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)