Cassilândia, Terça-feira, 24 de Outubro de 2017

Últimas Notícias

30/09/2004 07:25

Micro e pequenas empresas pagarão apenas um imposto

Ana Paula Marra/ABr

O projeto de lei complementar do governo federal, enviado hoje ao Congresso Nacional, quer incentivar a formalização das micro e pequenas empresas no país. Se for aprovado na íntegra, as empresas que ganham até R$ 36 mil por ano vão pagar apenas um tributo à União: o equivalente a 1,5% sobre o faturamento mensal, dinheiro que será destinado ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). "Todos os outros impostos federais terão alíquota zero", garantiu o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid.

Para Rachid, se fizerem parte do mercado formal, essas empresas terão mais facilidade para comercializar seus produtos e serviços, além de ter mais acesso às linhas de financiamento de crédito.

O ministro da Fazenda, Antônio Palocci, disse estar confiante de que o Congresso Nacional aprovará o projeto em breve. “Eu penso que, logo que o Congresso tomar conhecimento do conteúdo dessa lei e do grande benefício que ela dará ao empreendedor de pequeno porte do mercado informal, tantos os senadores quanto os deputados vão aprová-la”.

Palocci lembrou que hoje no Brasil 22,5% da população ocupada é composta de empregados sem carteira assinada, segundo pesquisa de emprego realizada, em julho deste ano, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “Esse dado é motivo de grande preocupação. A informalidade é prejudicial ao trabalhador, pois ele fica sem acesso aos direitos trabalhistas”, afirmou o ministro.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou o projeto de lei nesta tarde, durante cerimônia no Palácio do Planalto.

Outros benefícios

O projeto de lei também prevê redução da pressão tributária dos impostos estaduais e municipais sobre as micro e pequenas empresas. O ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) - cobrado pelos estados e Distrito Federal - terá alíquota de até 1,5% sobre o faturamento mensal. Sobre o ISS (Imposto sobre Serviços) - cobrado pelos municípios - a alíquota será de até 2%.

A alíquota de contribuição para o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) também poderá ser reduzida. Ela será fixada em 0,5% sobre o salário, desde que haja concordância expressa do empregado.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 23 de Outubro de 2017
09:00
Cultura
Domingo, 22 de Outubro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)