Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

30/09/2004 07:25

Micro e pequenas empresas pagarão apenas um imposto

Ana Paula Marra/ABr

O projeto de lei complementar do governo federal, enviado hoje ao Congresso Nacional, quer incentivar a formalização das micro e pequenas empresas no país. Se for aprovado na íntegra, as empresas que ganham até R$ 36 mil por ano vão pagar apenas um tributo à União: o equivalente a 1,5% sobre o faturamento mensal, dinheiro que será destinado ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). "Todos os outros impostos federais terão alíquota zero", garantiu o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid.

Para Rachid, se fizerem parte do mercado formal, essas empresas terão mais facilidade para comercializar seus produtos e serviços, além de ter mais acesso às linhas de financiamento de crédito.

O ministro da Fazenda, Antônio Palocci, disse estar confiante de que o Congresso Nacional aprovará o projeto em breve. “Eu penso que, logo que o Congresso tomar conhecimento do conteúdo dessa lei e do grande benefício que ela dará ao empreendedor de pequeno porte do mercado informal, tantos os senadores quanto os deputados vão aprová-la”.

Palocci lembrou que hoje no Brasil 22,5% da população ocupada é composta de empregados sem carteira assinada, segundo pesquisa de emprego realizada, em julho deste ano, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “Esse dado é motivo de grande preocupação. A informalidade é prejudicial ao trabalhador, pois ele fica sem acesso aos direitos trabalhistas”, afirmou o ministro.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou o projeto de lei nesta tarde, durante cerimônia no Palácio do Planalto.

Outros benefícios

O projeto de lei também prevê redução da pressão tributária dos impostos estaduais e municipais sobre as micro e pequenas empresas. O ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) - cobrado pelos estados e Distrito Federal - terá alíquota de até 1,5% sobre o faturamento mensal. Sobre o ISS (Imposto sobre Serviços) - cobrado pelos municípios - a alíquota será de até 2%.

A alíquota de contribuição para o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) também poderá ser reduzida. Ela será fixada em 0,5% sobre o salário, desde que haja concordância expressa do empregado.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)