Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

13/08/2004 07:55

Meta do MS é vacinar 212 mil crianças contra pólio

Agência Saúde

De 21 de agosto a 3 de setembro, todas as crianças menores de 5 anos têm um compromisso inadiável. Elas devem comparecer aos postos de saúde para participar da segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite (paralisia infantil). Só que essa etapa tem um apelo especial. Além da gotinha, as crianças vão receber também a vacina Tríplice Viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba. A meta principal dessa campanha é imunizar mais de 17 milhões crianças em todo o país contra a pólio e 13,7 milhões contra sarampo, rubéola e caxumba. No Mato Grosso do Sul, 212 mil crianças deverão receber a vacina contra a pólio e 172 mil a Tríplice Viral.

Em todo o país, cerca de 117 mil postos de saúde e 439 mil pessoas, entre servidores públicos e privados e voluntários, estarão envolvidos na mobilização. O atendimento será realizado no horário de funcionamento normal dos postos, das 8h às 17h.

"A proposta do Ministério da Saúde é completar a proteção das crianças contra a poliomielite e protegê-las também do risco da importação do sarampo", afirma o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde,
Jarbas Barbosa. Todas as crianças menores de 5 anos - mesmo as que tomaram a vacina na primeira etapa da campanha deste ano - precisam receber a segunda dose contra a pólio. O Ministério da Saúde só pode assegurar o controle da doença se as duas doses forem aplicadas todos os anos.

Em relação à vacina contra o sarampo, o secretário explica que esse tipo de campanha é realizado pelo ministério a cada cinco anos. "Para que o País se mantenha sem casos de sarampo, é preciso fazer, além da vacinação normal, essa campanha especial", reforça Jarbas. "Mesmo o Brasil não tendo casos da doença há quase três anos, o sarampo ainda é muito comum em várias áreas do mundo, inclusive em países desenvolvidos como o Japão, Alemanha e Itália", completa. A vacina evita a reintrodução da doença no Brasil por meio de turistas.

Nessa campanha contra o sarampo, o ministério vai utilizar a vacina chamada Tríplice Viral, que protege também contra a rubéola e a caxumba. "Se a criança já foi vacinada, a dose vai servir como um reforço", destaca Jarbas.

Diferente da vacina contra a Pólio, que com uma simples gotinha imuniza a criança, a Tríplice Viral é aplicada por meio de injeção. O secretário explica que quando se trata de uma dose oral, a vacinação pode ser realizada por um voluntário que não seja profissional de saúde. Já quando a vacina é injetável, como no caso do sarampo, a aplicação só pode ser feita por um profissional de saúde capacitado. "O principal objetivo do ministério em realizar essa etapa da campanha em 15 dias é reduzir as filas nos postos de saúde para que os pais não deixem de levar os filhos para receber a dose", afirma o secretário.

O Ministério da Saúde vai fazer todo um trabalho de divulgação para explicar aos pais a importância da vacinação contra a pólio e contra o sarampo. A idéia é obter um bom comparecimento das crianças aos postos. A meta é atingir uma cobertura vacinal de 95% das crianças menores de 5 anos em todo o País.

Nesta etapa, serão mobilizados menos profissionais de saúde do que de costume. "Nas campanhas contra a Pólio realizadas em um único dia, mobilizam-se mais pessoas de uma vez só. Dessa vez, vamos mobilizar um número menor de pessoas só que em um período maior de tempo", explica o secretário. Ao todo, serão distribuídas 26,3 milhões de doses da vacina contra a pólio e 20,1 milhões da Tríplice Viral. O recurso investido será de R$ 103,5 milhões

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)