Cassilândia, Segunda-feira, 01 de Junho de 2020

Últimas Notícias

07/04/2020 15:20

Mesmo com redução, celulose lidera pauta das exportações

Balança comercial do Estado registrou superávit de US$ 493 milhões

Correio do Estado
Mesmo com redução, celulose lidera pauta das exportações

Apesar da redução nas exportações de celulose, o produto ainda aparece como o principal item na pauta de Mato Grosso do Sul. A balança comercial do Estado em março de 2020 apresentou um superávit de US$ 493 milhões, tendo como principais itens na pauta de exportação a celulose, soja, carne bovina, carne de aves e milho e ainda destaques positivos para o minério de ferro, algodão e açúcar.

Conforme as informações divulgadas nesta segunda-feira (6) na Carta de Conjuntura do Setor Externo, pela Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), o resultado das vendas externas no primeiro trimestre de 2020 foi 23,26% inferior ao verificado de janeiro a março de 2019, mas a taxa de câmbio favorável ajudou a amenizar os efeitos desfavoráveis à exportação diante dos efeitos do novo coronavírus (Covid-19) na economia mundial.

Pela tendência verificada em relação a 2019, há uma estabilidade das exportações mesmo com queda nos dois principais produtos de exportação a celulose e a soja em grão. A Celulose apareceu como primeiro produto na pauta de exportações, com 39% do total exportado em termos do valor, e com diminuição de 22,12% em relação ao mesmo período no ano passado. Em relação ao volume houve queda de 9,06%.

O titular da Semagro, Jaime Verruck, havia adiantado ao Correio do Estado que a redução do envio de celulose ao exterior foi reduzido porque o mercado chinês havia parado de comprar. “Nós tivemos um gargalo da celulose nas exportações que foi o fechamento do mercado chinês, por conta do coronavírus, mas isso já está retomando que a gente consegue dar uma fluidez normal para celulose. Temos que destacar que também é um setor essencial na estrutura de embalagem”.

Já o segundo produto da pauta foi ocupado pela soja em grão, com 19,47% de participação, com diminuição em termos de valor de 33,24% em relação ao primeiro trimestre de 2019. Em termos de volume, houve diminuição de 29,95%, sugerindo que a queda de 33,24% foi devida principalmente a queda no volume exportado

De acordo com o secretário este cenário pega o início do coronavírus no Brasil e uma situação bem diferente em relação à China. “No atual momento, os chineses têm buscado uma recomposição de estoques. Continuamos monitorando as operações. Neste período de vigência das medidas para combater o novo coronavírus, o foco da Semagro tem sido o de estimular a adoção de protocolos de segurança para manter o nível de produção e o emprego na indústria e garantir o fluxo logístico interno de carga e também de embarque nos portos”, explicou Verruck.

CARNES

As exportações de carnes, no entanto, seguem em alta: as operações externas da carne bovina tiveram aumento de 9,31% e as de carne de aves, 42,08%, em relação ao primeiro trimestre de 2019. O minério de ferro permanece em alta com aumento de 54,79% em termos de valor.

Ainda foram registrados bons resultados com o açúcar, que teve crescimento de 47,77% e com o algodão, que elevou suas exportações em 167,06% no período, ainda resultado do desempenho da safra no ano passado.

IMPORTAÇÃO

Considerando os produtos importados, Mato Grosso do Sul continuou com uma pauta concentrada na importação de gás boliviano, representando 58,27% da pauta de importações no primeiro trimestre de 2020. Em termos de volume do gás, houve aumento de 3,19% no período, em relação a janeiro-março de 2019.

O principal destino das exportações continua sendo a China, representando no primeiro trimestre de 2020 cerca de 45,28% do valor total das vendas para o exterior feitas por Mato Grosso do Sul. Os países com maior aumento na participação foram: Coréia do Sul (222,32%) e Japão (87,98%). A maior queda foi registrada para os Estados Unidos, com baixa de 68,43% nas exportações em relação o janeiro a março de 2019.

“Observamos com cautela o mercado da carne. Houve uma alta nas exportações mas a situação no cenário interno requer atenção. Também estamos monitorando a relação da China com os EUA e mantendo a questão da logística e do funcionamento interno da agroindústria do Estado para obter um resultado diferente nos próximos meses”, finalizou Jaime Verruck.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 31 de Maio de 2020
09:52
Cassilândia
08:52
Cassilândia/Lagoa Santa/São João do Aporé
Sábado, 30 de Maio de 2020
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)