Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

02/05/2016 11:30

Menstruar ou não, eis a questão

Gineco.com.br

Atualmente existem métodos contraceptivos com os quais a menstruação ocorre com menos frequência ou para por completo. Por esse motivo muitas mulheres têm questionado se alterar o ciclo menstrual pode causar algum dano à saúde.

A menstruação frequente é um fenômeno relativamente novo. Estima-se que as mulheres pré históricas menstruavam cerca de 50 vezes na vida, atualmente as mulheres modernas menstruam em média 450 vezes. A diferença é tão grande pois antigamente as mulheres se submetiam a gestações consecutivas, amamentação prolongada e menor expectativa de vida.

A habitual menstruação mensal com o uso de pílulas foi originada por John Rock e Gregory Pincus em 1958, mesmo nessa época seus criadores comentaram que qualquer duração de ciclo menstrual poderia ser optada, sendo escolhida a mensal por questões políticas, culturais e religiosas da época. Apesar de haver sangramento mensal com as pílulas este não é uma menstruação e sim um sangramento pela retirada brusca de hormônios.

Pesquisas demonstram que 62% das mulheres gostariam de menstruar menos frequentemente ou não menstruar. Motivos para isso são reduzir sintomas menstruais, higiene, melhoria na qualidade de vida e diminuir o sangramento.

Uma pesquisa feita com ginecologistas brasileiros mostra que 93% deles consideram ser seguro não menstruar.

A supressão da menstruação ganhou legitimidade com seu uso para tratamento de doenças como cólicas menstruais, miomas, endometriose, etc. Conclui-se então que o sangramento mensal não é necessário para a eficácia contraceptiva ou segurança do tratamento. Diversos países, inclusive o Brasil, já têm medicamentos aprovados para tal fim.

O bloqueio da menstruação também pode apresentar vantagens como: maior adesão ao método contraceptivo, menor interferência nas atividades diárias ou ocasiões especiais, menor gasto com produtos de higiene e menos faltas no trabalho/escola por queixas relacionadas à menstruação.

Por isso seja qual for a sua preferência converse com o seu médico ginecologista, somente vocês dois poderão decidir qual o melhor intervalo menstrual e qual a melhor forma de atingir o objetivo.

Dra. Thaís Emy Ushikusa

Ginecologista, obstetra e colposcopista.

Gerente Médica – Bayer SA

Fontes:

Jensen JT, Garie SG, trummer D, Elliesen J. COntraception 2012.

Jacobson JC, Likis FE, Murphy PA. J Midwifery Women’s Health 2012.

Pompei LM, Fernandes CE, Steiner ML et al. Gynecol Endocrinol 2013.

Christin-Maitre S. Clin Endocrinol Metabol. 2013.

Edelman AE, Gallo MF, Nichols MD et al. Hum Reprod 2006.

L.BR.02.2014.1613

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)