Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

03/06/2016 10:32

Menina mente sobre estupro após mãe flagrar fora da escola, diz polícia

G1

Uma menina de 12 anos teria mentido à polícia e à família que havia sido vítima de estupro para esconder que tinha matado aula e vai responder por auto de apuração de ato infracional análogo ao crime de estupro. O caso aconteceu em Três Lagoas, a 313 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com o delegado Thiago Passos, adjunto da Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM) de Três Lagoas, no dia 12 de maio, a mãe foi buscar a filha na escola, não a viu no local e a encontrou em uma rua. A garota então disse à mãe que havia sido estuprada.

Elas procuraram a polícia e a adolescente disse que havia sido estuprada por um desconhecido que a pegou na escola em um carro preto e depois a deixou em uma rua.

Investigação
A Polícia Civil passou a investigar o caso e constatou contradições em detalhes informados pela menina. " Ela disse que havia sido estuprada no chão. A gente foi ao local e não tinha nenhum vestígio", fala o delegado, acrescentando que as imagens de câmeras de segurança de imóveis vizinhos à casa informada pela menina onde teria ocorrido o estupro, não mostravam nada suspeito.

"As imagens mostram que a adolescente saiu da escola com um casal de amigos e os três entraram na casa e saíram momentos depois", diz o delegado. Segundo ele, a menina estava com roupas limpas, sem vestígios que havia sido abusada, conforme tinha relatado. "O casal foi ao local para 'ficar' e a menina acompanhou eles até lá".

Conforme Thiago, o imóvel é conhecido como ponto de encontro de usuários de drogas. No entanto, a polícia constatou que a adolescente não é usuária, não teve relação sexual e foi ao local somente para acompanhar o casal de amigos. O resultado de exame de corpo de delito ma menina foi negativo para a prática sexual.

Mentira
Diante da situação, a garota foi ouvida novamente nessa quarta-feira (1º) e confessou que havia mentido sobre o estupro. Ela disse que havia 'matado aula' e como foi surpreendida pela mãe fora da escola, inventou sobre o abuso sexual.

A garota agora responde por ato infracional análogo ao crime de comunicação falsa de crime ou contravenção, previsto no artigo 340 do Código Penal. O procedimento deve ser concluído em 30 dias e será encaminhado ao Juízo da Infância e Juventude.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)