Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

10/03/2016 10:30

Medicamentos podem ter reajuste de até 12,5% neste ano, diz indústria

180 Graus

O índice de reajuste no preço dos medicamentos pode chegar a até 12,5% neste ano, valor acima da inflação, segundo estimativas da indústria farmacêutica.

O percentual oficial de reajuste máximo permitido deve ser divulgado pela Cmed (Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos) em 31 de março. A previsão do setor, no entanto, é que haja pouca variação em relação à estimativa divulgada nesta quarta-feira (9).

O índice foi calculado com base nos critérios que, junto com o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), compõem o cálculo adotado pelo governo para fixar o reajuste máximo do preço dos remédios.

Para a Interfarma, que divulgou a estimativa, a perspectiva é que esse valor seja alterado apenas se houver uma mudança nos critérios utilizados pelo Ministério da Saúde para o cálculo. Pesam nessa conta fatores como a produtividade da indústria, a concorrência no setor farmacêutico e o custo dos insumos. "As oscilações do câmbio e o aumento expressivo da energia elétrica tiveram grande influência na mudança", diz a Interfarma, em nota.

Diferentemente do ano anterior, a indústria diz que a anulação dos fatores de produtividade e concorrência devem fazer com que haja apenas um índice de reajuste máximo permitido para todas as categorias de medicamentos. Em 2015, os índices foram de 5%, 6,35% e 7,7%.

Ao todo, 19 mil produtos estão sujeitos ao novo reajuste. O aumento, no entanto, não deve chegar imediatamente às farmácias. Segundo a indústria, a previsão é que as primeiras variações de preço ocorram daqui a três meses, com a reposição dos estoques.

Indústria e varejo também podem optar por praticar um reajuste menor do que o permitido, principalmente nos casos de produtos de maior concorrência no setor e mais procurados pelos pacientes.

OUTRO LADO
Em nota, o Ministério da Saúde diz que o ajuste anual médio do preço máximo dos medicamentos ainda não está definido e deve ser divulgado até o dia 31 de março.

"Cabe destacar, no entanto, que a resolução [que estabelece os critérios para o cálculo] define o possível índice máximo de aumento e que a indústria farmacêutica pode regular os preços, inclusive para menos do percentual previsto", informa.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)