Cassilândia, Sexta-feira, 22 de Setembro de 2017

Últimas Notícias

09/05/2004 18:39

MEC vai acabar com cursos de pós-graduação irregulares

Assessoria MEC

Uma portaria assinada pelo ministro da Educação, Tarso Genro, combate a proliferação de cursos de pós-graduação lato sensu, irregulares, no Brasil. Publicada hoje, 7, no Diário Oficial da União, a Portaria nº 1.180 cria a Comissão Especial de Acompanhamento e Verificação, subordinada ao Ministério da Educação, que terá poderes para fiscalizar o funcionamento dos cursos, exigindo a regularização das deficiências ou a sua desativação pela instituição de ensino. Estes cursos são normalmente promovidos por IES privadas.


A decisão do ministro foi tomada diante das denúncias apresentadas ao MEC nas últimas semanas, reclamando do descumprimento das normas que regulam os cursos de pós-graduação no país. “Vamos dar um basta à desregulamentação que permitiu a proliferação de cursos de pós-graduação sem qualidade em todo o País. Quem não adequar os cursos às normas e exigências do MEC, terá sua desativação determinada”, afirma Tarso Genro.


Pela Portaria, a Comissão Especial de Acompanhamento e Verificação terá a incumbência de acompanhar e verificar a exatidão do cumprimento das disposições estabelecidas na resolução CES/CNE nº 1/2001, quanto aos cursos de pós-graduação lato sensu oferecidos por instituições de ensino superior ou por instituições especialmente credenciadas para atuar nesse nível educacional. Poderá, ainda, oferecer sugestões de procedimentos que possibilitem o aprimoramento das ações de supervisão destes cursos.


A Comissão terá poderes para requisitar às instituições de ensino esclarecimentos sobre o projeto pedagógico, a carga horária, o corpo docente e demais elementos considerados importantes no processo de supervisão do Ministério. Caso as informações prestadas pelas instituições não sejam satisfatórias, o MEC poderá designar comissão para verificar in loco as condições de oferta dos cursos.


Se o MEC constatar descumprimento da resolução CES/CNE nº 1/2001, e se não forem sanadas as deficiências identificadas pela comissão, o MEC suspenderá a tramitação dos processos de interesse da instituição ou de sua mantenedora até que a oferta dos cursos de pós-graduação seja regularizada ou que a instituição providencie a sua desativação. “Com ações como esta, queremos aprimorar a qualidade da educação no Brasil. Por isso, não podemos aceitar anarquia no ensino da pós-graduação no País”, afirma o ministro.


A comissão criada pelo MEC terá, ainda, a incumbência de supervisionar a organização de um cadastro nacional dos cursos de pós-graduação lato sensu ofertados pelas instituições sob a supervisão do Ministério. O cadastro será disponibilizado, via internet, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeria (Inep), do MEC.



As instituições têm prazo de 90 dias, a partir da publicação da portaria, para incluir os dados dos cursos de pós-graduação no cadastro eletrônico. Além disso, elas devem, também em 90 dias, apresentar relatório circunstanciado, acompanhado de elementos que comprovem que os cursos de pós-graduação lato sensu cumprem as exigências da resolução CES/CNE nº 1/2001.


O ministro Tarso Genro determinou a realização de estudos pela assessoria técnica do Ministério para propor ao Conselho Nacional de Educação a reforma da Resolução CES/CNE nº 1/2001. A intenção é modificar os termos da resolução, que, na sua forma atual, libera a abertura dos cursos sem que haja, necessariamente, permissão ou registro deles no MEC.


Repórter: Leandro Marshall

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 22 de Setembro de 2017
Quinta, 21 de Setembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)