Cassilândia, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

24/11/2008 13:32

Manoel Afonso - ICMS: política ou bom senso?

Manoel Afonso

Após bem sucedida CPI da Enersul, o projeto sobre a reavaliação dos critérios de cálculo e distribuição do ICMS é a matéria que mais chama a atenção pelo seu alcance social. O autor Jr. Mochi tem se esmerado nesta “alfaiataria” para costurar e alinhavar, contornando assim os obstáculos.
Quem acompanha sabe: desde a criação do Estado muitos municípios lutam com dificuldades para sobreviver. Dentre os 61 deles beneficiados com o projeto em pauta, alguns só arrecadam para as despesas com a folha salarial e manutenção da máquina. Resultado: falta dinheiro para investimentos.
São prefeituras viciadas, com quadro de pessoal inchado e incompatível com a realidade. As estatísticas mostram que os municípios de economia alicerçada na pecuária vivem em estado de penúria.
O raciocínio é simples: quem tem boa arrecadação não concorda com a tese de perder um pouco à favor de quem tem arrecadação menor. No caso, são 17 cidades que se articulam para derrotar o projeto “Robin Hood”. Campo Grande, naturalmente, é a primeira e grande opositora, cujas manifestações são freqüentes na mídia.
Contra o projeto milita um aspecto que não pode ser desprezado: Nesses 17 municípios está concentrado perto de 80% do contingente eleitoral e a expressiva representação eleitoral no parlamento estadual. Na hora de decidir, a tendência é que impere a razão: cada deputado levará em conta os seus ganhos e perdas eleitorais. Mas pergunto: como fica o Estado como um todo? Poucos tão ricos e muitos em dificuldades. Impossível a convivência harmoniosa diante de tamanha desigualdade entre as cidades.
O Governador André age como pai, com cautela: sabe da penúria dos “61 primos pobres”, evita omitir opinião, mas torce por um final feliz para os 78 envolvidos. Enquanto isso, o jogo de xadrez está posto na Assembléia, onde Mochi demonstra competência – às vezes avançando – às vezes recuando.
Se a causa é nobre, como diz o médico ao consolar e animar o paciente antes da cirurgia traumática, a política estará presente até que o projeto seja votado. Política é assim: às vezes se ganha perdendo. Com menos radicalismo e melhor senso será possível avançar.
A causa é suprapartidária, ousada, própria da democracia.

Manoel Afonso
Comentarista da TV. Record-MS
mcritica@terra.com.br

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)