Cassilândia, Sábado, 29 de Abril de 2017

Últimas Notícias

17/10/2008 18:47

Maníaco” queria esquartejar garota que ele disse odiar

Nadyenka Castro/Campo Grande News

O garoto de 16 anos que ficou conhecido como “maníaco da cruz” de Rio Brilhante, contou à Polícia Civil que queria esquartejar uma adolescente de 15 anos que ele disse odiar. A menina foi ouvida nessa quinta-feira e afirmou à polícia que era ameaçada de morte pelo adolescente.

Segundo a delegada Maria de Lourdes Souza Cano, da Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e à Juventude), há dois anos eles se conheceram através do Orkut e a garota disse gostar de “satanismo” para ser aceita como amiga dele.

Ela prometeu ir em cemitérios, como ele e demais amigos faziam, no entanto não foi. A partir de então, o adolescente passou a sentir ódio por ela, como ele mesmo disse à Polícia Civil, e ameaça-la.

De acordo com Maria de Lourdes, na primeira vez ela não acreditou que ele seria capaz. Na segunda, ela sentiu medo e na terceira contou aos pais. Conforme a delegada, “a vontade dele era esquarteja-la”.

O “maníaco” relatou à polícia que a vontade dele era matar a garota com mais crueldade do que as outras vítimas.

Ele contou á polícia que começou a ter vontade de matar quando tinha 11 anos, mas não tinha coragem. Declarou ainda que assistia muitos filmes com mortes e sangue e gostava de um, em especial, onde várias mulheres eram mortas.


A primeira vítima dele foi o pedreiro Catalino Cardena, 33 anos, em 24 de julho. A segunda, a frentista Letícia Neves, 22 anos, e a terceira e última, a estudante Gleice Kelly da Silva, 13 anos. Todos foram deixados em posição de crucificação.

O adolescente contou á polícia que os deixava com os braços abertos e pés sobrepostos, porque elas acreditavam em Deus e esta foi a posição que o Deus delas morreu. Segundo ele, todos deviam morrer porque eram “impuros”, na avaliação dele.

O “maníaco” chegou a abordar uma garota de 17 anos, mas não a matou porque a considerou pura. No quarto dele, entre outras coisas, a polícia encontrou escrito: “Carla/Salva”.

O autor contou ainda à polícia que saiu de casa sete vezes com a intenção de matar, além daquelas que matou. Nestas, quatro vezes chegou a perseguir o total de quatro mulheres, com idades entre 20 e 25 anos.

Elas não foram abordadas porque se aproximaram de outras pessoas. Duas delas perceberam que eram seguidas, e aceleraram os passos. Antes de matar Gleice, o garoto chegou a tentar abordar outra mulher, mas duas crianças se aproximaram e ele desistiu.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 29 de Abril de 2017
Sexta, 28 de Abril de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)