Cassilândia, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

06/01/2009 10:14

Mais de 400 mil armas de fogo foram recadastradas

Luana Lourenço , ABr

Brasília - Mais de 400 mil armas que estavam sem registros ou apenas com as antigas autorizações estaduais foram recadastradas em 2008, de acordo com balanço preliminar da Polícia Federal. O prazo para recadastramento sem necessidade de taxas ou testes psicológicos terminou no dia 31 de dezembro.

A estatística corresponde ao total de pedidos de recadastramento feitos pela internet, de acordo com o chefe substituto do Serviço Nacional de Armas, delegado Douglas Saldanha. “Registramos na web pedidos de regularização de mais de 400 mil armas irregulares que estavam em circulação. É um número bastante expressivo”, avaliou hoje (6), em entrevista à Rádio Nacional.

A PF ainda vai contabilizar os pedidos de regularização feitos diretamente nas unidades da corporação em todo o país.

Saldanha lembra, no entanto, que o registro não garante porte de arma ao proprietário. “O registro permite que a pessoa pode simplesmente manter o armamento em casa; não autoriza que ela transporte esse armamento em ambientes públicos, na rua”, explicou.

Para quem ainda tem armas em casa sem registro, a recomendação do delegado é a entrega do equipamento em umas das unidade da PF, com direito a receber indenização que varia de R$ 100 a R$ 300. “Foram campanhas paralelas: o recadastramento terminou, mas a entrega de armas mediante indenização continuará durante todo o ano de 2009”.

A manutenção da arma de fogo em casa sem o registro atualizado na Polícia Federal é considerada crime, previsto no Estatuto do Desarmamento, com penas que podem chegar a seis anos de prisão.

A entrega pode ser feita em qualquer delegacia ou superintendência da PF do país, mas para transportar a arma até o local é necessária uma autorização da polícia, emitida gratuitamente na página da PF na internet. “No site da PF, no endereço www.dpf.gov.br o cidadão retira uma guia de trânsito para levar essa arma, sem munição, até uma das nossas unidades; para não correr o risco de no trajeto ser pego por algum policial e ser confundido com um criminoso”, orientou Saldanha.

De acordo com o delegado, a concessão de novos portes de armas está restrita a autoridades policiais, às Forças Armadas e a pessoas que exerçam atividade de risco ou tenham sua integridade ameaçada. “As autoridades que analisam pedidos de porte de armas têm sido bastante criteriosas. É uma análise caso a caso”, explicou. Em 2008, nove mil novos portes de armas foram emitidos pela PF, número “restrito”, na avaliação do delegado.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)