Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

13/07/2010 09:26

Maioria não protege corretamente tosse e espirro

Associated Press/Folha On Line

Um estudo apresentado na segunda-feira (12) em uma conferência de doenças infecciosas, em Atlanta, revelou que a maioria das pessoas têm hábitos não muito higiênicos - e por vezes nojentos.

Estudantes de medicina Universidade de Otago, em Wellington, na Nova Zelândia, observaram secretamente os hábitos de centenas de pessoas após tosse ou espirro em uma estação de trem, um shopping center e um hospital no país. A maioria das pessoas não evitou adequadamente uma explosão de germes infecciosos no ar.

O trabalho foi realizado na cidade durante duas semanas de agosto do ano passado, no fim de uma onda preocupante, mas suave, de gripe suína. Foi um momento em que a pandemia era notícia internacional e campanhas de saúde pública pediam a crianças e adultos para serem cuidadosos com a propagação do vírus.

A boa notícia é que cerca de três em cada quatro pessoas tentaram cobrir a tosse ou espirro, numa tentativa de evitar que os germes voassem pelo ar. A má notícia é que a maioria -cerca de dois em três- usaram as mãos para fazê-lo.

\"Quando você tosse, você cobre suas mãos de vírus\", disse o autor do estudo Nick Wilson, professor de saúde pública da universidade. \"Então você toca maçanetas, móveis e outras coisas. Outras pessoas tocam os vírus e são contaminadas dessa forma\", explicou o pesquisador.

Autoridades da saúde recomendam que as pessoas espirrem em seu cotovelo, em um movimento às vezes chamado de \"o Drácula\", devido à semelhança do movimento de um vampiro levantando sua capa. Mas apenas cerca de uma em cada 77 pessoas fez isso. Outra opção é usar um lenço, mas apenas uma em 30 se protegeu dessa forma.

Mais notícias ruins: os pesquisadores não registraram números, mas diversas vezes viram pessoas cuspir no chão, inclusive no hospital.

\"Eles estavam um pouco enojados\", disse Wilson, descrevendo a reação de sua equipe, que registrou 384 espirros e tosses.

Wilson avaliou as conclusões como surpreendentes, especialmente porque o estudo foi realizado apenas quatro meses depois que o vírus foi identificado pela primeira vez, quando ainda era considerado excepcionalmente perigoso.

Tossir nas mãos pode ser ótimo, caso elas sejam lavadas prontamente, mas ninguém acredita que isso acontece.

Um estudo de 2007 feito pela Harris Interactive em banheiros públicos sugeriu que aproximadamente uma em cada quatro pessoas nem sequer lava as mãos após ir ao banheiro. Ele descobriu que os homens foram os piores: somente um em três lavam.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)