Cassilândia, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

02/07/2016 07:30

Mãe é presa por aplicar golpe para tratamento de falso câncer de filho

Midiamax

Com o filho sofrendo de câncer e sem ter como manter seu tratamento no Hospital do Câncer de Barretos, Vera Lúcia Alves Penaves de 61 anos, recorria ás ruas. De porta em porta a mulher pedida ajuda para bancar as despesas com medicamentos para o jovem até que um dia, ele não resistiu à doença.

Sem ter como trazer o corpo do jovem para Campo Grande, mais uma vez, a mãe pediu a colaboração daqueles que se sensibilizassem com a história e aos poucos foi conseguindo arrecadar os mais de R$ 3 mil que precisava para o translado do corpo. Muitos ajudaram a mulher como podiam e todos os dias ela voltava com dinheiro para casa.

Na quarta-feira (29) a mãe de três filhos, duas meninas e um menino, foi até Jaraguari, ela já havia arrecadado R$ 350 quando equipes da Delegacia de Polícia Civil a encontraram e prenderam em flagrante. O motivo? Toda a história não passava de mentira, um golpe aplicado por meses em municípios próximos a Capital.

Segundo o delegado Antenor Batista da Silva Junior, responsável pelo caso, Vera vivia dos golpes. Moradora de Campo Grande, a mulher saia de casa avisando para a família que iria trabalhar como diarista, mas ai invés disso viajava para as cidades próximas, como Bandeirantes, Jaraguari e Sidrolândia para pedir dinheiro.

“O filho dela sofre de esquizofrenia. Ela usava a doença, mentia que era câncer e aplicava os golpes”, detalha Antenor.

O estelionato foi descoberto depois que a mulher pediu ajuda para um casal de Jaraguari. Ela contou que o filho passava por tratamento e recebeu R$100 para ajudar nas despesas. Antes de ir embora, a mãe deixou o número do celular e de uma conta para caso a família quisesse contribuir ainda.

No outro dia, a suspeita ligou para o casal e contou que o filho havia morrido e precisava de mais dinheiro para o traslado do corpo. Sensibilizadas, as vítimas depositaram cerca de R$ 300 reais para ela.

Segundo o delegado, depois da doação a suspeita falou para a vítima que viajaria no sábado e no domingo voltaria com o corpo do filho. Na data a mulher ligou para Vera para confirmar se havia dado tudo certo, mas foi informada que os documentos ainda não estavam liberados.

“No outro dia a vítima retornou a ligação, não foi atendido e quando foi, ficou sabendo que a estelionatária estava no aeroporto a caminho de Campo Grande. Na terça-feira ela ligou novamente e mais uma vez foi informada que o corpo ainda não estava liberado que a suspeita precisou voltar para Barretos. Foi ai que a vítima soube que era um golpe”, narrou o delegado.

A vítima contou a história para uma amiga, que já havia conversado com a mulher e desconfiado da calma diante da perca de um filho e das informações desencontradas. O caso foi parar nas redes sociais, onde várias pessoas relataram serem vítimas de Vera. A polícia foi acionada e na quarta-feira conseguiu prender a mulher.

De acordo com o delegado Antenor, com ela foi encontrado R$ 350, parte do dinheiro foi devolvido para as vítimas e a polícia também conseguiu impedir que uma professora depositasse na conta da mulher. Durante o flagrante os policiais ainda encontraram cartões da Caixa Econômica Federal, do Santander, do Bradesco e Sicredi no nome de Vera.

Agora, a polícia deve pedir a quebra do sigilo bancário da mulher para investigar a movimentação de dinheiro em suas contas, já que ela afirmou que não sabia quantos recebia por mês. Vera foi transferida de Jaraguari para Campo Grande nesta quinta-feira (30) e está no presídio feminino.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)