Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

22/01/2016 17:00

Low poo e No poo: tire suas dúvidas sobre essas rotinas para os cabelos

Minha Vida

Os métodos "no poo" e "low poo" vêm ganhando cada vez mais destaque entre os adeptos de tratamentos e limpeza dos cabelos de formas mais naturais. Os termos derivam do inglês; no pow refere-se ao não uso de xampu, já o low poo representa pouco xampu. Eles foram difundidos pela especialista em cabelos cacheados Lorraine Massey em seu livro "Curly Girl", ou "Garota Cacheada" em tradução livre.

Mais do que produtos, os conceitos no poo e low poo carregam uma filosofia de vida, e não há consenso sobre as definições do método, ou seja, uma única definição sobre como ele deve ser utilizado na prática. A discussão envolve cabeleireiros, dermatologistas, tricologistas e farmacêuticos, e até se é necessário o uso de cosméticos para tratar os cabelos ou se apenas ingredientes naturais que se compram num supermercado seriam o suficiente, é um dos pontos de debate.

O que significam Low poo e No poo?
Os métodos e produtos no poo e low poo buscam apresentar produtos e tratamentos alternativos principalmente em relação ao Sulfato, componente presente em xampus, responsável por produzir a espuma da limpeza, e petrolatos (que têm o seu papel na hidratação dos fios), substâncias presentes em diversos xampus e condicionadores e que causariam danos aos cabelos, principalmente aos crespos e cacheados.

"Os cabelos crespos e cacheados são naturalmente mais frágeis e ressecados devido a estrutura do fio, por isso os adeptos do no poo vetam o uso de sulfato. No entanto, quando se faz uso destes itens é necessário não utilizar produtos insolúveis em água - como óleo mineral, parafina líquida, vaselina, entre outros - pois eles se fixam aos fios e precisam do sulfato para retirá-los", explica Angélica Pimenta, dermatologista e tricologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). "Já o low poo é uma técnica mais flexível, pois se usa xampus que contêm sulfatos, mas em versões menos agressivas. Por esse motivo, eles não fazem tanta espuma", diz a especialista.

Como os métodos low poo e no poo funcionam na prática?
Aqui, novamente, não há consenso, principalmente na questão do no poo. A cabeleireira especialista em cachos e adepta dos métodos, Sabrinah Giampá, explica: "no caso do no poo, para higienizar o cabelo você vai precisar de um bálsamo limpante, que seria um condicionador com agente de limpeza suave ao invés de um xampu tradicional. Os mais radicais usam bicarbonato de sódio diluído em água e vinagre. A diferença do no poo para o low poo, é que esta segunda é uma rotina mais flexível, e tolera surfactantes mais suaves, como o Cocamidopropyl Betaine, que é derivado do coco e faz uma espuminha bem suave, além de silicones solúveis em água".

O que o produto pode ou não ter para ser no poo ou low poo?
Para saber se o produto é no poo ou low poo você vai precisar ler o rótulo e saber pelo menos um pouquinho de química, que já vamos explicar: Para que um xampu remova oleosidade ou sujeira do cabelo é necessário que tenha a presença de um ingrediente conhecido como tensoativo. O tensoativo é uma substância que consegue se ligar na sujeira e na água ao mesmo tempo, com isso após o exangue, a sujeira vai para o ralo. "Os tensoativos mais usados na indústria são o lauril sulfato de sódio e o lauril éter sulfato de sódio. No entanto, muito se fala sobre o potencial irritante destes componentes. Buscando alternativas mais seguras e vegetais surge o conceito low poo e no poo, que são produtos com baixa concentração ou ausência dos tensoativos tradicionais", explica Lucas Portilho, farmacêutico e especialista em cosmetologia. "Em produtos low poo não pode haver a presença destes sulfatos, mas é permitido o uso de tensoativos suaves, como amisoft (derivado do milho), plantarem (derivado do coco e milho) ou o extrato de Quilata, que são os mais usados. Já em produtos no poo não há tensoativos e os ingredientes usados são amidos ou sílica absorvedores de oleosidade", completa.

Só cabelos crespos ou cacheados podem utilizar a técnica?
Este é um dos pontos de maior discórdia entre as partes envolvidas nos cuidados com os fios. Apesar de pessoas com todos os tipos de cabelo poderem utilizar a técnica, não faltam argumentos contra e a favor do seu uso, principalmente nos cabelos lisos.

"Acredito que não há motivos para deixar de usar os produtos tradicionais, pois o xampu é importante na limpeza do couro cabeludo, principalmente para retirar o excesso de gordura e poluição. No entanto, a quantidade de xampu sempre deve ser moderada, já que em excesso, pode ser prejudicial aos fios, independente se lisos ou cacheados. Por isso, antes da pessoa aderir a qualquer método é interessante conversar com um especialista sobre o assunto", opina a dermatologista e tricologista Angélica.

"Todos os tipos de cabelo são beneficiados com as rotinas low e no poo. No caso dos fios lisos, como o surfactante pesado (lauril sulfato de sódio) remove todo o sebo da raiz, o couro cabeludo entende que precisa produzir mais óleo, e o resultado são fios emplastados. Com a rotina low poo, que é mais indicada para os lisos, é possível acabar com a oleosidade excessiva. Para os cacheados, as rotinas acabam com o excesso de sebo na raiz e ressecamento no comprimento e pontas", diz a cabeleireira Sabrinah.

"Boa parte dos produtos hoje em dia não possuem estes ingredientes - que podem provocar alergias em algumas pessoas, mas não em todas. O lauril sulfato de sódio é realmente muito adstringente, o que quer dizer que para um cabelo oleoso ele não é tão vilão quanto para um cabelo seco", opina Adriano Almeida, tricologista e presidente da Sociedade Brasileira do Cabelo.

O que é o co-wash?
Este é outro termo muito comum no universo no poo/ low poo, que é uma abreviação do inglês e significa, literalmente, lavar com o condicionador. "Na rotina no poo você já pratica uma espécie de co-wash intensivo, pois o condicionador ou os bálsamos limpantes fazem parte da higienização diária. Na low poo, algumas pessoas intercalam o co-wash entre as lavagens com agentes de limpeza que fazem uma leve espuma, mas que não são agressivos", explica Sabrinah. "Mas o importante, em ambos os casos, é que o co-wash não pode ser feito com qualquer condicionador, e sim com um produto isento de silicones, parafina líquida e derivados de petróleo no geral", alerta a cabeleireira.

"Só usar o condicionador para fazer a limpeza dos fios não é legal, pois o xampu tem o seu papel - que é limpar o cabelo e o couro cabeludo, e só o condicionador não limpa o cabelo", diz Almeida.

Dicas para quem vai começar a usar uma das técnicas
Agora, antes de mudar a sua rotina de tratamentos é muito importante conversar com um especialista para verificar como está o seu cabelo e tirar dúvidas com relação a forma que você cuida dos fios e resultados que obtém.

Quando você for começar a usar esse tipo de produto é importante saber que, "em alguns casos, o cabelo leva um tempo maior para se adaptar, por isso, geralmente aconselhamos fazer uma lavagem com um xampu anti-resíduos antes de começar a rotina. Na sequência se deve hidratar com um produto liberado para uma delas, e assim começar, sem nenhuma 'maquiagem' que pode prejudicar a absorção dos produtos", diz Sabrinah.

Caso você opte ou não por utilizar as técnicas, uma dica vale para todos: "diluir qualquer xampu com um pouco de água ajuda a homogeneizar a sua aplicação, ou seja, não fica mais produto no primeiro local que você encostou do que nas outras partes, o que é benéfico pois o excesso em um único pedaço é maléfico para os fios. Este procedimento é bom para todos os cabelos, mesmo os oleosos, pois o xampu é distribuído melhor pelo couro cabeludo e cabelo em si", diz o tricologista Almeida.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)