Cassilândia, Terça-feira, 22 de Maio de 2018

Últimas Notícias

02/05/2006 22:07

Levantamento aponta presença de 543 espécies invasoras

Patricia Landim/ABr

Foram identificadas 543 espécies exóticas invasoras no Brasil como preocupantes para a economia e meio ambiente. A informação está em publicação disponibilizada hoje (2) na página do Ministério do Meio Ambiente na internet. A publicação também traz informações básicas relacionadas ao Informe Nacional sobre Espécies Exóticas Invasoras, do qual o dado resulta; ao 1º Simpósio Brasileiro sobre Espécies Exóticas Invasoras, realizado ano passado em Brasília; e à criação de uma Câmara Técnica Permanente sobre Espécies Exóticas Invasoras em fase de deliberação pela Comissão Nacional de Biodiversidade (Conabio).

Quanto ao informe nacional, realizado pelo Projeto de Conservação e Utilização Sustentável de Diversidade Biológica Brasileira (Probio), foram divulgados, de forma resumida, dois diagnósticos: um sobre as espécies exóticas invasoras atuais e potenciais que afetam sistemas terrestres, marinhos, de águas continentais, de produção no que se refere a pecuária, agricultura e silvicultura, bem como à saúde humana; e um outro sobre um levantamento da estrutura disponível no país para prevenção e controle dessas espécies.

Animais, plantas ou microorganismos são classificados como espécies exóticas invasoras quando, levados para outro ecossistema que não o de origem, podem se disseminar de forma desordenada e causar prejuízos à saúde humana e à economia, além de provocar transformações irreparáveis na fauna e na flora locais. Segundo Lídio Coradin, da Secretaria de Biodiversidade e Florestas do ministério, o número de espécies pode aumentar ou diminuir dependendo do trabalho realizado para seu controle e das condições que elas encontram nos locais.

Ele explicou que ao longo de 2006 haverá uma publicação mais detalhada com os diagnósticos mais completos e informações sobre cada uma das espécies e dos problemas causados por elas. O material foi distribuído durante a 8ª Conferência da Convenção das Partes sobre Biodiversidade (COP-8) e agora está acessível no site www.mma.gov.br/invasoras.

"As espécies exóticas invasoras são consideradas a maior causa de perda de biodiversidade depois das alterações de hábitats", informou Coradin. De acordo com ele, uma espécie que pode ter importância econômica também pode comprometer a segurança do país, a partir da sua situação de se multiplicar rapidamente e invadir sistemas ecológicos. "Esse é um assunto preocupante em âmbito mundial, e no Brasil, pelas dimensões continentais que temos, sem dúvida, é um assunto muito sério."

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 22 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Segunda, 21 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Domingo, 20 de Maio de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)