Cassilândia, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

10/03/2015 07:59

Leite aumenta até 12% após alta da energia elétrica e do diesel

Dourados News

O café da manhã do sul-mato-grossense está até 15% mais caro em decorrência dos aumentos da energia elétrica, do óleo diesel e do dólar. Depois de as indústrias da panificação e confeitaria terem reajuste o preço do pão francês em até 15%, agora é a vez da indústria laticínia elevar o valor do litro do leite em até 12%, conforme informação do presidente do Silems (Sindicato das Indústrias de Laticínios de Mato Grosso do Sul), Hernandes Ortiz.

Segundo Hernandes Ortiz, o aumento varia de 10 a 12% nos cerca de 70 laticínios espalhados por Mato Grosso do Sul. "Os empresários estão apenas repassando os custos de produção, que foram majorados devido ao aumento da tarifa de energia elétrica, que até o momento já subiu mais de 46,27% para o setor industrial do Estado, e do reajuste dos combustíveis, principalmente, do óleo diesel, que essencial para o escoamento da nossa produção", pontuou.

Ele explica que a indústria laticínia estadual teve um aumento nos custos de logística, de captação e de distribuição, sendo que a coleta que antes era de R$ 0,10 a R$ 0,14 por litro passou para R$ 0,17 por litro, ou seja, uma elevação de mais de 70%. Com o reajuste, conforme o presidente do Silems, o consumidor deve diminuir o consumo dos derivados lácteos e o reflexo disso será uma consequente redução no quadro de funcionários dos laticínios.

"Por causa da crise na economia, nós já vivemos um momento de vendas retraídas, levando em conta que os produtos lácteos não são considerados de primeira necessidade como o arroz, feijão e o óleo. Quando estamos em crise o consumo reduz inevitavelmente", analisou Hernandes Ortiz, completando que, com o excesso de produção e também de oferta, além da baixa demanda dos produtos lácteos, os números deixam os empresários desanimados.

"Isso tudo vem se agravando com a atual conjuntura econômica. Entre os problemas em nível nacional, temos a grande oferta de matéria-prima com baixo consumo e várias empresas enfrentando problemas de recuperação, sendo que algumas até fecharam as portas deixando produtores sem receber. Esse cenário acaba refletindo também em Mato Grosso do Sul", ponderou o presidente do Silems.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)