Cassilândia, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

29/08/2006 08:40

Leia o Corino - O Brasil e as urnas

Corino Rodrigues de Alvarenga
Cassilândia NewsCassilândia News

O Brasil e as urnas

O brasileiro se prepara para ir às urnas agora no dia primeiro de outubro. Embora sejamos a maior democracia obrigatória do planeta, o que é um aberrante contra-senso, é preciso acreditar na importância do voto. A democracia pode não ser um regime perfeito, mas é o que se aproxima mais do ideal, afinal, a cada voto, há a oportunidade de se mudar as coisas, isto é, puxar as rédeas e dizer: “basta!”
Votar é um exercício de cidadania inerente à condição humana. E sem cidadania não se tem paz, segurança e panela cheia. Votar, portanto, não pode ser utilizado como instrumento de barganha por qualquer tipo de vantagem ilícita, como, por exemplo, apertar o dedo indicador naqueles números todos em troca de cesta básica, cimento ou do raio que o parta. O raio que, ao mau político, o parta. É por aí.
Ontem encontrei com dona Zefinha, uma matutinha muito bacaninha, mas um pouco desinformadinha. Ela, de pronto, foi me dizendo assim:
- Seu Corino, acho que vou votar no seu dotô Juvenal, que, além de ser bonito e rico, me prometeu trocar a minha dentadura, que tá ruim pra danar!
- Faz isso,não, dona Zefinha! Faz isso, não mulher! – foi gritando, aos gestos, o amigo Girafão, um galego esguio e cheio de malícia. – Uma dentadura é muito pouco. Se pelo menos fosse um milheiro de tijolos... ou de telhas... areia, pedra, cal...
E, virando-se para mim, perguntou, com uma ponta de malícia na cara:
- Não tô certo, amigo Corino?
- Certo, certo, você não está, não – respondi, decepcionado. – Não vale a pena vender o seu voto.
Na verdade, e apenas em nome da boa educação, deixei de dizer o que quase veio à boca, mas não saiu: “Quem vende o seu voto não vale o que recebe.” Quase saiu. Só que, em nome dessa tal da boa educação, não saiu. Ficou lá, preso, talvez na garganta. Ou no pâncreas. Talvez no fígado. Ficou lá e não saiu. Acho que, no fundo, no fundo, fui covarde e me calei. Lá em São Paulo, há uma filosofia adotada pelos espertos: “Mais vale um covarde vivo do que um herói morto.” Acho que aprendi a lição direitinho.
O jornalista e analista econômico Joelmir Betting já disse certa vez, num de seus comentários na TV – o canal eu não me lembro, no momento -, que o Brasil só não vai para o buraco porque o Brasil é maior do que o buraco. Dizem que os maus políticos estão tentando fazer com que o buraco se torne maior do que o Brasil. Estariam tentando. Não será tarefa fácil, afinal o Brasil é um gigante. Adormecido, mas um gigante. É também verdade que os políticos são esforçados pra caramba, cara! Quem sabe? Um dia, quem sabe?
No primeiro domingo de outubro, imploro a você, amigo leitor, amiga leitora: não faça algo de que venha a se arrepender depois. Um voto errado significa quatro anos de arrependimento. Ou oito anos, se for senador. Aliás, por que senador tem esse privilégio de ficar oito anos lá no poder, no bem-bom? Um voto errado é igual ônibus desgovernado: não pára no ponto, e, quando pára, faz um estrago daqueles.
Na hora em que estiver lá votando, lembre-se do conselho do amigo psicanalista Sigmund Freud, que, por sinal, nunca foi meu amigo: “Só o conhecimento traz o poder.” E, cá entre nós: Freud sabia do que estava falando. E Freud tinha uma grande virtude: não era político. Ele foi apenas o Pai da Psicanálise. Só isso.

Corino Rodrigues de Alvarenga

Contatos com o colunista:
corinorodrigues@hotmail.com

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)