Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

03/11/2006 09:11

Leia - Língua portuguesa, inculta e bela!

Alcides Silva

Língua portuguesa, inculta e bela!
Alcides Silva

“Se ninguém se opor...”

É muito comum, principalmente na linguagem oral, verbos irregulares serem conjugados como regulares: Eu virei se ninguém se ‘opor’, ; Ele virá quando ‘pôr’ a carta no correio...; O professor não virá se não ‘manter’ a disciplina; Ele somente virá quando bem lhe ‘convir’; Se ‘prever’ que não haverá público, ele não virá.
Esse vezo é de fácil explicação: na conjugação dos verbos regulares, a 1ª e as 3ªs pessoas do futuro do subjuntivo são formadas pelo infinitivo do respectivo verbo antecedido de se ou quando: se eu amar; quando eles cantarem; se eu falar; quando o dinheiro se acabar; se eu vender; quando eles cederem; se eu defender; quando o dia entardecer; se eu me despedir; quando ele se cobrir; se eu assistir; quando ele divergir. Muitos verbos irregulares também formam por esse mesmo processo as 1ª e as 3ªs pessoas do futuro do subjuntivo (subjuntivo é um modo verbal que indica uma probabilidade, uma ação que pode ou não acontecer): se a carta couber no envelope, quando ele reouver o dinheiro, se eu puder, quando eles puderem, quando eu quiser, se eles souberem a verdade, quando ela fizer aniversário, quando eu pedir, se eles medirem, se Pedro e Manoel dirigirem, quando eu sair, etc. Outros, os verbos derivados, seguem a conjugação do verbo originário ou primitivo.
Necessário relembrar que são chamados de regulares os verbos que se conformam, na conjugação, com os respectivos paradigmas ou modelos; e de irregulares, aqueles que se afastam de seus paradigmas ou padrões de sua própria conjugação. As irregularidades podem ocorrer nas desinências, como, por exemplo, no verbo ver (eu vejo, tu vês, ele vê, nós vemos, vós vedes, eles vêem); ou no radical, como no verbo subir (eu subo, tu sobes, ele sobe, nós subimos, vós subis, eles sobem); ou em ambos, como no verbo trazer (eu trago; ele trouxe; nós traremos).
Na linguagem infantil é comum (e até simpático, conforme a idade da criança) o emprego da forma regular em verbos irregulares: eu fazi; eu cabo; eu consego; eu sabo. Com a alfabetização e as leituras que se seguirem, essa tendência normalmente se extinguirá.
Os verbos derivados de ter (conter, deter, entreter, manter, obter, reter, abster-se. ater-se, etc.), de ver (antever, prever, rever, mas não prover, ou precaver, que dele não é composto.), de vir (advir, convir, intervir, provir, reconvir, sobrevir, avir-se, desavir-se etc.) e de pôr (antepor, apor, compor, contrapor, decompor, depor, dispor, expor, impor, interpor, opor, propor, predispor, pressupor, supor e os demais terminados em por), seguem o verbo primitivo, inclusive no futuro do subjuntivo.
Verbo ter: se eu tiver, se ele detiver, quando elas mantiverem, quem obtiver, se o guarda retiver o trânsito.
Verbo ver: se eu vir, quem antevir o futuro, se eles previrem o resultado, quando o professor revir as provas.
Verbo vir: seu eu vier, quando ele convier, se a polícia intervier, se dessa árvore provierem frutos .
Verbo pôr: se eu puser, quando eles depuserem as armas, se o governo impuser a lei seca, se ninguém se opuser (este seria o título correto desta coluna), se todos propuserem, se ela supuser. Observação cautelar: o verbo pôr e seus derivados não tem z em nenhum de seus tempos. Assim não se deve escrever puz, depuzesse, propuzeram, etc.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
09:00
Maternidade
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)