Cassilândia, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

01/03/2007 10:34

Leia: Língua portuguesa, inculta e bela!

Alcides Silva

Língua portuguesa, inculta e bela
Alcides Silva
Um dos que... de que...
O emprego da palavra que é um dos estudos gramaticais que mais fascinam.
Espera aí: é um dos estudos que “mais fascinam” ou “mais fascina”?
O que da frase é um pronome relativo da frase e existe regra básica: o adjetivo concorda com o substantivo em gênero e número: estudos fascinantes.
Relembrando o já aqui dito algumas vezes, o que é pronome relativo porque refere-se a um termo anterior, relacionando-o com o termo conseqüente. O termo anterior nesse caso é quem determina o número para efeito de concordância verbal. Nem sempre, porém, o termo anterior é o imediatamente antecedente. Geralmente o é.
a) Um dos que...
No período que inicia este comentário qual, porém, o termo antecedente: um ou estudos? Tal determinação depende do sentido da frase. O que mais fascina são os “estudos” ou o “emprego” do pronome?
Vamos desdobrar a frase: Dos estudos que mais fascinam, o emprego do pronome relativo é um deles. Quem é que mais fascina? Os “estudos”. Logo, termo antecedente no plural, verbo conseqüente também no plural: “Estudos que mais fascinam”.
Tomemos um outro exemplo: Ele é um dos jogadores que mais gols têm marcado neste campeonato. Quem tem marcado gols? Os jogadores. Portanto o verbo ter deverá estar no plural.
Todavia, o verbo fica no singular quando a ação se refere a uma única pessoa: “Ele era um de seus amigos que mais me procurava”. Quem me procurava? Ele (termo antecedente). “Foi um dos livros que li nas férias”. “Era entre os jogadores o que mais gols tem marcado”.
b) De que...
Tinha a esperança de que ganharia na ‘Sena’ ou Tinha a esperança que ganharia na Sena?
A primeira das frases é a correta, porque quem tem esperança a tem de alguma coisa. Esperança é expectativa, é perspectiva, é probabilidade, é possibilidade de algo; é confiança em algo; é disposição para algo. “De”, “em” e “para” são preposições e relacionam dois termos de uma oração, de forma tal modo que o sentido do primeiro (antecedente) seja completado pelo segundo: Esperanças de ganhar – Esperança em Deus – Esperança para o futuro.
Quero reafirmar que te amo ou de que te amo? Reafirmar que te amo, porque se reafirma alguma coisa e não de alguma coisa.
A preposição de será obrigatória quando o que introduzir oração que completa o sentido de um substantivo, adjetivo ou advérbio. O prefeito está crente de que uma campanha intensiva em prol do pagamento do IPTU salvará as finanças municipais. O governo chegou à conclusão de que a Febem corrompe. Tenho a impressão de que o governo Lula está fracassando no combate ao cartel dos juros altos.
O emprego da preposição é facultativo quando o que introduzir oração que tem a função de objeto indireto: Duvido que o governo melhore a Saúde Pública. O povo desconfia que queiram prejudicá-lo. Precisamos que alguém lute por nós. Nesses casos prevalece a forma mais eufônica.
c) Em que
Há verbos que exigem a preposição em por expressar: 1º - uma idéia de lugar onde: Esta é a casa em que vivi – Foi o rio em que brincamos – Este é o jornal em que escrevo – Cuspiu no prato em que comeu - 2º ou uma noção de interioridade Aquela era a idéia em que ela acreditava – Ele é o político em que confio.
Como nem sempre é necessário empregar a preposição antes do termo que, fica fácil criar uma regrinha prática: Faça a pergunta ao termo antecedente ou ao verbo: O que? De que ou Em que [onde]? Pela resposta obtida saber-se-á da necessidade ou não da preposição. As cidades que visitei (o que visitei? as cidades), sem preposição – Esta a cidade em que nasci (onde nasci? nesta [em + esta]) cidade), necessária a preposição.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 06 de Dezembro de 2016
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
13:15
Cassilândia
09:00
Maternidade
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)