Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

03/02/2006 10:06

Leia Amplavisão, por Manoel Afonso

Manoel Afonso/TV Record

DELCÍDIO X JUVÊNCIO. Indignado com as declarações de Delcídio, de que seria “preguiçoso”, o ex-prefeito distribuiu informativo mostrando sua trajetória política e trabalho. Aguardem o próximo “round”.

MUTRETAS. Ocorrem no país inteiro. Se lá em Brasília são rotineiras, no interior não são diferentes. A reportagem da Globo, sobre congressos de vereadores em Fóz de Iguaçu e Camboriú mostrou a farra.

VEREADOR abusado usa de todos os expedientes para levar vantagem: nomeia os parentes, cabos eleitorais, superfatura notas de despesas, abastece o carro na conta da prefeitura e viaja em “missão oficial.”

MORDIDA. Vereador não pede votos para terceiros de graça. O preço varia de acordo com sua votação. Candidatos à Assembléia, Câmara e Senado, principalmente, sabem como funciona: na base do toma lá da cá.

FIDELIDADE? Não sejamos ingênuos: ela não existe. O partido é apenas referência. Na hora do acerto com candidatos, o vereador valoriza seu cacife eleitoral e currículo. Sem “dim dim”, nada feito!

NELSINHO. Animado com a grana extra do IPTU, mas com vários desafios a vencer. O alagamento em alguns pontos da capital é um deles e vai virando rotina. Agir rápido e combater as causas é a meta. Se não...

REFLEXÃO. “...jornalismo cor-de rosa é socialmente irrelevante...nosso compromisso
não é com as celebridades, mas com a verdade. O jornalismo de registro repercute o Brasil oficial, mas oculta a verdadeira dimensão do País real.” (Carlos A. Di Franco)

E MAIS... “não se pode permitir que as assessorias de comunicação dos políticos definam o que deve ou não ser coberto. O centro do debate tem de ser o cidadão, as políticas públicas, não mais o político.”

ASSEMBLÉIA. Tenho ouvido bons papos envolvendo articulações sobre a próxima presidência daquela Casa. Tem gente que se contenta com a cobiçada Secretaria. Como sempre, Londres continua no páreo.

A PRESIDÊNCIA passa mais pelo prestígio pessoal, capacidade de articular e agregar do pretendente, do que necessariamente da vontade do Governo. Exemplos anteriores comprovam as características próprias da Casa.

JOBIM. A cada fala, fica evidente a vontade de ser o companheiro de chapa de Lula. A última então, foi de doer. Isso sem contar a decisão em preservar o sigilo bancário do Okamotto, o “amigo do rei - Lula”.

SORRIA! Fantasiosa a versão do presidente do Sebrae e ex-caixa da campanha de Lula, segundo a qual pagou com seu dinheiro a dívida de Lula junto ao PT. No ar um velho ditado: “quem não deve, não teme!”

LOUCURAS. O PMDB mudou. Cada um cuida de seu pirão. Sarney quer a Roseane de vice de Lula; Calheiros sonha com essa boca, a exemplo de Jobim. Rigotto e Garotinho não vão a lugar algum. Partido do varejão.

LULA. Aproveita-se do cargo, da divisão da oposição e dos resultados econômicos que sopram a favor. Um fato novo, um escândalo e uma oposição mais contundente talvez possam impedir sua reeleição.

A PERGUNTA. E Lula se reelege? Com mais de 11 milhões de cartões do “segurança alimentar”, o aparelhamento partidária da coisa pública e a parceria com o PMDB, os escândalos poderão ser minorados.

E A ÉTICA? Mesmo cassado, Severino continua dando as cartas em Brasília. Agora, mesmo cassado, o ex-deputado Pedro Correa ficará na presidência do PP, aliado do PT, que antes tanto combatia a imoralidade.

O JOGO. Claro que o ônibus de André vai ficar lotado. Gente entrando pelas janelas e sentada até no corredor . Motorista, o italiano está adorando tudo isso. No final arruma lugar para todos. Claro que arruma.

E A EDUCAÇÃO? Não era prioridade do PT? Vergonhoso o adiamento do início das aulas, trazendo conseqüências graves. O governador foi passear no México e esqueceu do repasse do dinheiro aos municípios.

ALCKMIN. Sua visita ao Estado é uma oportuníssima injeção de ânimo na candidatura de Mariza ao Senado. Aliás, faz tempinho que o encolhido PSDB não ganha nada aqui. E essa, é a hora!

FILHO DA TERRA. São tantas as obras que tem beneficiado Porto Murtinho, que já se fala que Zeca foi o melhor prefeito que a cidade já teve. Mesmo assim, não elegeu seu candidato à prefeito. Entendeu?

FRUSTRAÇÃO. O governador não admite, mas guarda sentimento de frustração neste segundo mandato, onde imaginou fazer história com Lula no Planalto. Sem ilusões, o ciclo do PT no Estado chegou ao fim.

ARREMATE. Delcídio vai empurrando com a barriga esperando fatos novos e irritando a ala xiita (e ainda tem?) do PT que deve lançar Egon. PDT e PL já pularam fora do barco à deriva. “Consummatum est.”


DUDA MENDONÇA: “SOU VÍTIMA DA POLÍTICA.”

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)