Cassilândia, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

26/11/2007 08:17

Leia a íntegra do Café com o Presidente

Agência Brasil

Brasília - Apresentador: Olá, você, em todo o Brasil. Começa agora o programa de rádio do presidente Lula. Tudo bem, presidente?

Presidente: Tudo bem, Luiz.

Apresentador: Presidente, as áreas de ciência, tecnologia e inovação vão receber um reforço nos próximos três anos. Como vai funcionar esse plano, presidente? Quais são as prioridades dele?

Presidente: Luiz, nós apresentamos um plano que prevê investimentos entre 2007 e 2010, de R$ 41 bilhões. Um pouco mais, mas arrendondando, R$ 41 bilhões. Esse programa tem quatro prioridades. Primeiro, expansão e consolidação do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação. As metas: ampliar e fortalecer a parceria com estados e municípios e aumentar o número de doutores titulados por ano. Segunda prioridade: promoção da inovação tecnológica nas empresas. Metas: aumentar a razão entre os gastos em pesquisa, desenvolvimento e inovação privado de 0,51% do PIB [o Produto Interno Bruto, a soma de todas as riquezas produzidas no país] para 0,65% do PIB até 2010 e, ainda, estruturar o sistema brasileiro de tecnologia. Terceira prioridade: pesquisa, desenvolvimento e inovação em áreas estratégicas, como tecnologia da informação, biocombustíveis, agronegócio, insumos para a saúde e energia nuclear. E a quarta prioridade: ciência, tecnologia e inovação para o desenvolvimento social. Tudo isso tem como meta atingir, até 2010, o investimento de 1,5% do PIB em pesquisa,desenvolvimento e inovação. Só para ter uma idéia de comparação, em 2006 o investimento nessas áreas foi de 1,02% do PIB. Portanto, é um momento extraordinário, um momento importante. Certamente, o Brasil daqui para a frente vai, cada vez mais, colocar dinheiro em ciência e tecnologia, porque todos nós hoje temos consciência de que sem fazer investimentos em ciência e tecnologia, nós não daremos o salto de qualidade que precisamos dar para competir nesse mundo cada vez mais inovado, cada vez mais tecnológico e cada vez mais competitivo. Então, o Brasil precisa produzir coisas importantes. Por exemplo, o Brasil hoje fabrica avião, e só fabrica avião porque investimos em tecnologia um tempo atrás. Hoje, nós estamos colhendo o produto de ter uma empresa altamente sofisticada e competitiva como a Embraer [a Empresa Brasileira de Aeronáutica].

Apresentador: Quer dizer: vai aumentar a participação da indústria no setor de inovação e, com isso, vai melhorar a competitividade do Brasil lá fora também, presidente?

Presidente: Certamente, porque o que nós queremos é colocar mais valor agregado nos produtos que nós fabricamos. Ou seja, o Brasil não pode ser um país que tenha uma base forte nas suas exportações de produtos in natura, de grãos, de minério de ferro. É importante que a gente transforme isso em produtos sofisticados para que a gente possa ganhar mais dinheiro com as nossas exportações.

Apresentador: Você está ouvindo o Café com o Presidente. Hoje falamos sobre o Plano de Ciência, Tecnologia e Inovação. Agora, presidente, o Brasil sempre teve problema de evasão de pesquisadores para o exterior por conta de falta de apoio. Como fica essa situação da pesquisa no Brasil? Vai melhorar essa situação para os pesquisadores?

Presidente: Vai melhorar, Luiz, porque a ciência, tecnologia e inovação são instrumentos fundamentais para o desenvolvimento e crescimento econômico do país, para geração de emprego e melhorar a vida de todos os brasileiros. Nós temos alguns dados da produção científica e de cérebros no Brasil que são importantes. O Brasil hoje tem mais de 80 mil pesquisadores doutores. Só no ano passado, quase 10 mil doutores foram formados. A produção científica no Brasil vem crescendo. Ela representa hoje 1,9% do total mundial. O que nós estamos fazendo? Algumas ações para melhorar isso. Primeiro, reajuste para as bolsas de mestrado de doutorado de 20% a partir de março de 2008. As bolsas de mestrado passam de R$ 940 para R$ 1.200 e as de doutorado, de R$ 1.340 para R$ 1.800. Vamos investir R$ 6,5 bilhões em bolsas de estudo entre 2007 e 2010. Aumento no número de bolsas do CNPq [Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico] e Capes [Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior] dos atuais 95 mil para 155 mil. Luiz, uma coisa extraordinária no lançamento desse plano foi como fizemos esse plano.

Apresentador: Foi difícil, presidente?

Presidente: Olha, eu diria que o Brasil nunca teve um plano do Estado brasileiro. Agora, nós poderemos dizer em qualquer parte do mundo que o Brasil tem um programa de ciência e tecnologia pronto, acordado com todo o segmento da sociedade, com pesquisadores, com empresários, com professores. Conseguimos juntar todos os ministros que tinham alguma coisa de ciência e tecnologia, empresas públicas brasileiras. Ou seja, porque antes era assim, a Petrobras tinha o seu, o Ministério da Educação tinha o seu, o Ministério da Saúde tinha o seu, agora, nós juntamos tudo num programa do Estado brasileiro. Quando se fala de ciência, tecnologia e inovação, nós precisamos ver isso como investimento que vai trazer retorno, não apenas na produção de novos cientistas, mas vai trazer retorno do ponto de vista de melhorar a vida do povo brasileiro, melhorar a indústria brasileira, melhorar a qualidade do nosso produto. Portanto, fazer com que o Brasil se torne mais senhor da situação em ciência, tecnologia e inovação.

Apresentador: Obrigado, presidente. Até semana que vem.

Presidente: Obrigado a você, Luiz. E até a próxima semana.

Apresentador: O Café com o Presidente fica por aqui. Voltamos na segunda-feira que vem. Um abraço para você em todo o Brasil e até lá com mais um.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)