Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

24/09/2004 07:29

Lei 10.931 traça novas regras para o mercado imobiliário

Nelson Motta e Andréia Araujo/ABr

Brasília - A Lei 10.931/ 04, em vigor desde agosto último, traça novas regras para o mercado imobiliário. Entre as principais mudanças, estão os incentivos ao patrimônio de afetação, que, na prática, vai garantir a saúde financeira das obras. Com o patrimônio de afetação, episódios como os vividos pelos credores e mutuários da construtora Encol - que, falida, não cumpriu os contratos das obras - não devem acontecer.

Para as obras que tiverem seu patrimônio afetado, o governo dará um incentivo fiscal. Segundo o ministro da Fazenda, Antônio Palocci, estas obras terão uma cota de imposto único de 7%. Além dessas mudanças, o ministro das cidades, Olívio Dutra, ainda destacou a gratuidade do registro de regularização e a diminuição da burocracia.

O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Paulo Safady, comemorou a nova lei. Segundo ele, “mais pessoas poderão financiar seus imóveis”.

O presidente da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), Décio Tenerello, garantiu que dinheiro para investimento no setor imobiliário não vai faltar. Segundo Tenerello, este ano serão investidos cerca de R$ 3 bilhões no setor. Em 2005, as estimativas de investimentos chegam à casa dos R$ 13 bilhões.

Tenerello explicou que, em principio, o dinheiro que vai ser investido no setor é o da poupança, mas, com a nova lei que regula o setor, entidades como as seguradoras e os fundos de pensão passarão a investir. “Com a segurança jurídica que esta lei traz, novos investidores serão atraídos para este mercado”, disse.

Para o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Paulo Safady, com a nova lei, os investimentos no setor já eram aguardados, mas o problema “é que o setor não tem condições de gastar esse dinheiro”. Safady explicou que há outros problemas que impedem um crescimento tão rápido do setor, como a baixa renda do brasileiro e os altos juros. “Mesmo com esses problemas, se em 2005 nós conseguirmos investir cerca de R$ 6 bilhões está bom. Esse número é muito melhor que os dos outros anos", afirmou

A questão dos juros também foi lembrada pelo presidente da Abecip. Ele disse que o setor de entidades de crédito imobiliário esperava, até junho de 2005, uma taxa de juros real de 8% e “agora, com o cenário que se apresenta, prolongamos o prazo até 2006”.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)