Cassilândia, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

05/03/2008 16:27

Legislação não trata feto como ser humano, diz advogado

Marco Antônio Soalheiro /ABr

Brasília - A legislação brasileira não trata o feto como ser humano, porque se assim o fizesse, a pena de aborto teria de ser a mesma do homicídio. Essa foi a tese defendida hoje (5) no Supremo Tribunal Federal (STF) pelo advogado-geral da União, José Antônio Dias Toffoli, para defender o uso das células-tronco extraídas de embriões para pesquisas científicas.

Ao argumentar em favor da continuidade das pesquisas, durante o julgamento da ação direta de inconstitucionalidade que pede a suspensão do uso de células-tronco embrionárias para experiências científicas, Toffoli pediu aos ministros que julguem a questão não apenas sob o ponto de vista moral, mas também do ponto de vista jurídico e “de uma ética de responsabilidade, das conseqüências que esta decisão trará para a sociedade brasileira”.

“O Código Civil diz que a personalidade jurídica começa com o nascimento com vida. Antes disso, o nascituro ele tem apenas expectativa de direito”, lembrou Toffoli.

O advogado-geral da União ressaltou ainda que embriões congelados não são fetos , por não estarem no útero de uma mulher. E que, além disso, mesmo se a Justiça reconhecer o direito à vida de um embrião congelado, não há condições de garantir o exercício desse direito. “O Estado poderá obrigar a mulher que doou o óvulo a conceber o embrião? Ou obrigar que um terceira mulher receba o embrião? O Estado não tem essa tutela e não tem esse poder”, disse Toffoli.

Ao destacar que as pesquisas com células-tronco embrionárias podem resultar na descoberta de curas para doenças, Toffoli sustentou que, caso o Judiciário impeça a continuidade das experiências no Brasil, poderá ter de posteriormente obrigar o Estado a bancar o tratamento de pacientes no exterior, sob o mesmo argumento de proteção do direito à vida.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)