Cassilândia, Sábado, 22 de Fevereiro de 2020

Últimas Notícias

20/01/2020 12:00

Justiça determina que homem pague plano de saúde para tratamento de ex-esposa

Correio do Estado

A 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) determinou que um homem inclua novamente a ex-esposa em seu plano de saúde para que ela possa continuar o tratamento contra câncer de mama. A decisão ainda determina o bloqueio de metade do valor depositado a título de Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) do agravado.

Decisão de primeira instância já havia garantido que a empresa administradora reativasse o plano de saúde, na modalidade de demitidos, aposentados e inativos, bastando que o ex-marido assine o termo para a manutenção do plano de saúde. Porém, ele recorreu da sentença.

Os advogados do homem pediram que o recurso fosse negado, informando que teve de pedir demissão de seu emprego e, por isso, não pôde manter a ex-esposa no plano de saúde. Os advogados destacaram que o homem continua desempregado e não tem condições de arcar com o valor do plano de saúde.

Já a defesa da mulher relata que está se tratando contra um câncer de mama, e as despesas vinham sendo custeados pelo plano de saúde do ex-marido, que era mantido por meio do vínculo empregatício do agravado. Porém, o homem passou a pressioná-la para concluir o tratamento após deixar o emprego e consequente perder a cobertura do plano. Ressaltou ainda que a mulher "não possui tempo para perder", pois não pode ser submetida a carência de novo plano de saúde, pedindo que a empresa do homem não encerre o plano enquanto durar o tratamento, além de custear cirurgias de mastectomia e de reconstrução de mama.

Em seu voto, o relator do processo, desembargador Odemilson Roberto Castro Fassa, concordou com os advogados da mulher. “Embora o recorrido sustente que não tem condições de arcar com o valor, ao argumento de que está desempregado, […] o recorrido expôs que é motorista, o que demonstra que possui ocupação capaz de lhe conferir renda”, escreveu o magistrado. O processo tramitou em segredo de justiça.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 22 de Fevereiro de 2020
10:00
Receita do Dia
Sexta, 21 de Fevereiro de 2020
Quinta, 20 de Fevereiro de 2020
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)