Cassilândia, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

17/12/2009 08:27

Julgamento do casal Nardoni deve durar até 3 dias

Acusados de matar Isabella vão a júri popular em 22 de março de 2010. Alexandre e Anna Jatobá negam crime.

O julgamento do casal Nardoni, marcado para ocorrer a partir das 13h da segunda-feira do dia 22 de março de 2010, deve durar até três dias. A previsão foi feita nesta quarta-feira (16) pela assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de São Paulo e pelo Ministério Público.

De acordo com o Tribunal e com a Promotoria, julgamentos de grande repercussão levam, em média, esse tempo para que o juiz determine a sentença dos réus.

Alexandre e Anna Carolina Jatobá são acusados de matar Isabella, de 5 anos, no dia 29 de março de 2008. A madrasta da menina a teria agredido e o pai, a jogado da janela do sexto andar do apartamento do casal, em Santana, na Zona Norte da capital.

Segundo a assessoria do TJ, muitas pessoas terão de ser ouvidas pelo juiz Mauricio Fossen, do 2º Tribunal do Júri do Fórum de Santana, durante o julgamento -- que teve sua data divulgada na terça (15). Além dos envolvidos diretamente, pouco mais de 20 testemunhas (divididas entre as da acusação e da defesa) serão arroladas para prestar depoimento. Vídeos sobre o caso Isabella deverão ser exibidos no dia pela MP e pelos advogados dos Nardoni.

“A expectativa do Ministério Público é que o julgamento ocorra a partir de 22 de março. Pelos meus cálculos, acho que isso vai levar de dois a três dias. Não deve passar disso”, afirmou o promotor Francisco Cembranelli, responsável por denunciar o casal à Justiça.

“Eu arrolei quatro testemunhas. O médico legista Paulo Tieppo [do Instituto Médico Legal (IML)], a perita Rosangela [Monteiro, do Instituto de Criminalística (IC)], a delegada Renata [Pontes, que indiciou o casal] e Ana Carolina Oliveira [mãe de Isabella]”, disse Cembranelli. “Soube que a defesa arrolou 20 testemunhas, entre peritos do IC e até algumas testemunhas que eu arrolei.”

De acordo com o promotor, o julgamento será emblemático. “Vai atrair a atenção de muita gente”.

Policiamento reforçado

Ainda, de acordo com o TJ, haverá reforço policial no dia do julgamento no Fórum de Santana. O órgão, e a Polícia Militar, não entram em detalhes sobre como será feito o trabalho por questões de segurança e planejamento estratégico. Também haverá um esquema especial de trânsito, provavelmente com o auxílio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

Não está confirmado, mas o juiz Fossen deverá abrir o julgamento à cobertura da imprensa. O local onde será realizado um dos mais esperados júris dos últimos anos deve ser o plenário número 3 do Fórum de Santana. Foi lá que o ex-cirurgião Farah Jorge Farah acabou condenado a 12 anos de prisão pelo assassinato da ex-namorada e paciente. Coincidentemente, seu advogado é o mesmo que defende o casal Nardoni: Roberto Podval.

O agendamento e credenciamento dos jornalistas que irão cobrir o julgamento dos Nardonis deve começar a ser feito em fevereiro de 2010, informa a assessoria do TJ. Dentro da sala, no entanto, deve ser permitido somente um bloco de anotações e caneta. Câmeras fotográficas, filmadoras e gravadores podem ser vetados. O uso do lap top ainda não foi debatido.

Caso

Segundo o Ministério Público, a morte de Isabella teria ocorrido após uma discussão. Alexandre e Anna Carolina negam que tenham matado a menina. Eles afirmaram à época que um desconhecido entrou no quarto da menina e a matou. Essa pessoa nunca foi encontrada pela polícia. Recentemente, os defensores do casal cogitaram a possibilidade de ter ocorrido até mesmo um acidente doméstico com a garota: Isabella poderia ter caído sozinha da janela.

O advogado de defesa dos Nardoni, Roberto Podval, não foi encontrado para comentar o assunto. Anteriormente, ele havia dito que algumas questões ainda precisam ser resolvidas até o julgamento, como a realização de um novo teste de DNA e que isso é prioridade. O advogado do casal disse que a amostra que o Ministério Público afirma ter sido colhida dos acusados de matar Isabella, e que está no Instituto de Criminalística (IC), não é sangue, mas sim urina.

Podval protocolou um pedido para a realização de novos testes de DNA. Na quarta (9), o Instituto de Criminalística divulgou o resultado do exame de DNA que comprovou que o material genético que está guardado no instituto desde 2008 pertence mesmo ao casal.

Informações do G1.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)