Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

14/07/2008 22:16

Juíza manda fornecer documentação de colombiana

TJGO

A juíza Débora Letícia Dias Veríssimo, em atuação na 3ª Vara da Fazenda Pública Municipal de Goiânia, deferiu hoje (14) pedido formulado pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO) e determinou ao chefe da Assessoria para Assuntos Internacionais do Governo de Goiás, Elie Chidiac, que seja remetido ao referido juízo em cinco dias toda a documentação referente ao óbito da colombiana Maria Misleny Ciro Bedoya.

Ela morreu em 24 de fevereiro, vítima de malária. O corpo está no Hospital de Doenças Tropicais (HDT), que se encontra impossibilitado de liberá-lo pela necessidade de autorização judicial, uma vez que sua morte ocorreu há 160 dias, o que impede a Secretaria Municipal de Assistência Social de expedir o registro de óbito.

No entanto, segundo explicou a juíza, somente será possível expedição do alvará com a juntada dos documentos necessários, inclusive informações específicas sobre a cidadania da colombiana e cópia digitalizada do seu prontuário civil, conforme requereu a promotora Sandra Beatriz Feitosa de Paula Dias, à Embaixada da Colômbia no Brasil. O documento tem de conter a classificação das digitais para serem confrontadas com as do cadáver que está em Goiânia. "Esse cuidado é necessário e fundamental, pois é preciso a comprovação certa de que se trata da mesma pessoa. Ela não possui carteira de identidade, nem CPF, somente a Cédula de Cidadania da República da Colômbia nº 38286920. Nesse caso, não podemos correr o risco de sepultar alguém sem saber sua verdadeira identidade", esclareceu a juíza.

No Ofício 35/08, a promotora também solicitou à embaixada que seja informado ao MP-GO o interesse do Governo da Colômbia em promover o traslado do corpo para sepultamento no país de origem. Inicialmente o pedido de alvará judicial para a liberação do cadáver foi feito pela agente administrativa Terezinha de Sousa Brito, que, embora não seja parente da colombiana, alegou ter sido movida por um sentimento de "solidariedade humana", pois desejava proporcionar-lhe um "sepultamento digno". De acordo com a Diretoria do HDT, Maria e o companheiro dela, Jhon Eduart, chegaram ao hospital no dia 9 de fevereiro, vítimas de malária. A colombiana, segundo informou o HDT, morreu na manhã do dia 24, com falência múltipla dos órgãos, depois de cinco dias na UTI. Desde sua morte, a Assessoria para Assuntos Internacionais do Governo de Goiás tentou contatos com o Consulado da Colômbia, segundo informou o site oficial do governo, para averiguar a verdadeira história dos colombianos. O casal contou ter saído da Colômbia fugindo das Forças Armadas Revolucionárias (Farc) que, segundo eles, já haviam matado um filho deles, de 9 anos. A Assessoria Internacional, no entanto, ao checar as informações com a família de Maria, verificou que este fato não é verdadeiro.

Conforme divulgado na imprensa local, Jhon Eduart se recuperou e optou por deixar Goiás, rumo a Rondônia. O filho de dois anos, que estava com ambos em Goiânia, foi levado de volta à Colômbia por uma assistente social do governo goiano e será criado pelos avós maternos. (Myrelle Motta)


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)