Cassilândia, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

03/11/2006 17:07

Juiz permite que prefeito beneficie algodão transgênico

Humberto Marques/Campo Grande News

A Justiça Federal de Campo Grande concedeu na última segunda-feira (30 de outubro) autorização para que o produtor rural Jocelito Krug – prefeito de Chapadão do Sul pelo PTB – beneficiasse a colheita de algodão transgênico por ele cultivada, diante da alegação de que a produção estava se deteriorando. O algodão plantado por Krug seria da espécie RR, originário de uma semente geneticamente modificada cuja exploração é proibida no Brasil. A liminar expedida pela 1ª Vara da Justiça Federal permite apenas o beneficiamento, isto é, a separação entre pluma e caroço, sendo vetada a comercialização do algodão transgênico.

A liminar é resultado de um mandado de segurança impetrado por Krug em desfavor da Superintendência Federal de Agricultura em Mato Grosso do Sul, na qual era alegado risco de se perder todo o algodão colhido, que já estava se deteriorando. O advogado do produtor, Thiago Ferraz de Oliveira, alegou que a CNTBio (responsável pela regulamentação e fiscalização de produtos geneticamente modificados no País) emitiu parecer técnico em 2004 favorável à presença de transgênicos em sementes comerciais de algodão, em níveis inferiores a 1% da safra.

A decisão favorável à Krug havia assinalado que o não beneficiamento imediato da produção poderia resultar em perda total da safra. A sigla RR vem de Roundup Ready, nome da proteína presente no algodão transgênico que o torna resistente ao herbicida glifosato. A tecnologia RR é patenteada pela multinacional Monsanto.

A SFA/MS informou que, até o momento, não foi oficialmente notificada sobre a liminar. As restrições para o algodão semeado na plantação de Krug atendem às normas impostas pela Lei de Biossegurança, na qual é permitida apenas a exploração comercial da soja RR e do algodão BT – ambos produzidos com sementes transgênicas. Apenas em Mato Grosso do Sul, já foram identificados 3,2 mil hectares de algodão irregular, já colhidos e com a comercialização suspensa. A região de Costa Rica e Chapadão do Sul lidera na produção de algodão irregular.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)