Cassilândia, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

19/01/2007 09:03

Juiz nega pedido de estudantes para reduzir curso

TJ/GO

O juiz Carlos Alberto França, da 6ª Vara Cível de Goiânia, indeferiu ontem (18) o pedido de 38 estudantes do 7º período do curso de Farmácia-Bioquímica da Universidade Paulista (Unip) que pretendiam ter reconhecido o direito de reduzir a duração do curso de cinco para quatro anos, a exemplo das novas turmas formadas pela instituição. Ao examinar os autos, Carlos França destacou que a diminuição do curso de dez para oito semestres somente tornou-se viável em 2004 quando o Conselho Nacional de Educação (CNE) fixou qual seria sua carga mínima, possibilitando, dessa forma, que as instituições de ensino reformulassem suas grades curriculares para se adequarem à nova orientação. No entanto, explicou que a reformulação, por se tratar especificamente de carga horária, apresenta sensíveis dificuldades na aplicação dos cursos iniciados antes de 2004, uma vez que, a seu ver, toda a sua estrutura foi elaborada com base na estimativa de maior duração global do curso e os conteúdos e disciplinas também foram distribuídos por um tempo dilatado. "Faltam evidências suficientes de que os conteúdos que ainda precisam ser repassados aos requerentes podem, de fato, ser adequadamente distribuídos em apenas mais um semestre letivo", ponderou.

O magistrado observou ainda que os alunos não comprovaram que nenhuma das matérias obrigatórias deixaria de ser vista no caso de redução do período de duração de seus cursos. "Ao ingressarem no curso superior da universidade os autores sabiam previamente do seu tempo de duração não podendo, em momento posterior, solicitar a completa reformulação de sua grade curricular em flagrante prejuízo do planejamento pedagógico da requerida", frisou. Por outro lado, ressaltou a importância da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (art. 53, inciso 2º), que assegurou às universidades autonomia quanto à fixação dos currículos dos seus cursos e programas. "Sob esse ângulo pode-se dizer que cabe à Unip a decisão sobre a conveniência ou não da reestruturação da grade dos requerentes, não sendo essa adequação, portanto, obrigatória", concluiu. (Myrelle Motta)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)