Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

24/07/2006 09:40

Juiz leva ao TRE propostas contrárias à flexibilização

rmtonline


O juiz 8ª Zona Eleitoral, Marcelo Rasslan, apresenta nesta segunda-feira ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS), desembargador João Carlos Brandes Garcia, as propostas discutidas na sexta-feira pelos juízes eleitorais do interior, que recomendam mais rigor e não flexibilização das restrições à campanha.

A falta de regras claras de definitivas está retardando a campanha eleitoral. Os candidatos devem ganhar as ruas e deslanchar a campanha a partir desta semana, com a confirmação do que pode e não pode a partir de resolução do Tribunal Eleitoral. O TRE-MS tentou flexibilizar algumas restrições, mas não houve consenso da grande maioria dos juízes eleitorais. Eles buscam objetividade nas regras para ter condições de exercer uma fiscalização eficiente e capaz de assegurar lisura nas eleições.

O presidente do TRE-MS, desembargador João Carlos Brandes Garcia, manifestou na reunião dos juízes eleitorais preocupação com a liberdade de ação dos candidatos. "O TRE quer uma campanha fortalecida e sem inibição aos candidatos”, disse, observando que diariamente recebe ligações manifestando justamente as dúvidas sobre o grau de mobilidade que os candidatos terão para buscar o voto do eleitor e, principalmente, o que é considerado crime eleitoral e que tipo de infração pode levar à cassação do registro ou apenas implicar em multa administrativa.

As principais dúvidas continuam sendo em torno da realização de reuniões políticas com oferecimento de alimentação. O Tribunal, em princípio, defende que as reuniões sejam feitas em residências e comunicadas com antecedência de 48 horas para que a Justiça acompanhe o evento. Os juízes consideram difícil dimensionar esse tipo de evento e fiscalizar a todos. Gera muita dúvida, também, o conceito de showmício que, para o TRE-MS, comportaria vídeoclipes.

Em eventual nova resolução disciplinando a campanha eleitoral devem ser inseridas regras mais claras sobre a contração de cabos eleitorais pelos comitês e distribuição de combustíveis, pontos em que pode haver, segundo a Justiça Eleitoral, abusos do poder econômico.

Quanto aos abusos, no entanto, os juízes estão anunciando rigor. Também estarão atentos à distribuição de favores. Segundo o juiz Alberto Garcete, a Constituição assegura o direito de todos se reunirem, mas se tiver objetivo político as reuniões passam a estar sujeitas à legislação eleitoral. Mas o alvo principal da fiscalização será o abuso do poder econômico.


Fonte: Redação TV Morena

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)