Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

02/07/2007 17:30

Juiz federal libera Servo e mais 8 réus da Xeque-Mate

Nadyenka Castro/Campo Grande News

O juiz da 5ª Vara Federal de Campo Grande, Dalton Igor Kita Conrado, revogou nesta segunda-feira a prisão de nove envolvidos na máfia dos caça-níqueis. Com isso, os sete acusados que ainda estão presos serão soltos hoje e os que não foram não são mais considerados foragidos.

Foram revogadas as prisões de Ari Silas Portugal, Hércules Mandetta Neto, Edmo Medina Marquetti, José Eduardo Abdulahad, do tenente-coronel da PM (Polícia Militar) Marmo Marcelino Vieira de Arruda, do major PM Sérgio Roberto de Carvalho e do empresário Nilton César Servo, apontado como chefe da organização ilegal. Gandhi Jamil Georges e Raimondo Romano não são mais foragidos. O MPF (Ministério Público Federal) deu parecer favorável apenas a revogação da prisão de Romano.

Na decisão, o juiz avalia que as prisões não são mais necessárias porque a (PF) Polícia Federal e a Polícia Civil intensificaram as ações de combate aos jogos de azar. Além disso, a imprensa, Ministério Público, e a sociedade em geral também estão trabalhando para impedir a contravenção, considera o magistrado.

“E não havendo máquinas caça-níqueis em funcionamento, também não se poderá falar em corrupção para impedir a atuação do poder público”, diz o documento sobre a possibilidade de os acusados voltarem a pagar propina para poderem atuar sem a fiscalização da polícia.

Como não são mais considerados foragidos, Jamil e Romano terão os nomes retirados da relação de procurados da Interpol. Jamil se comprometeu a comparecer a todos os atos processuais e Romano havia saído do País antes da decretação da prisão dele, conforme consta no processo.

A operação - Com exceção de Romano e Jamil, os demais foram presos no desencadeamento da Operação Xeque-Mate da PF, no início do mês passado.

Jamil, Portugal, Mandetta, Abdulahad, Arruda, Carvalho e Servo, são acusados de chefiarem organizações que atuavam em Mato Grosso do Sul. Para não serem alvo de ações da Polícia Civil, eles teriam pagado propinas a policiais. Entre eles ao delegado Fernando Augusto Soares Martins e a vários agentes. O agente Marquetti teria intermediado as negociações. A investigação da PF que culminou no indiciamento de 101 pessoas começou no fim do ano passado. Interceptações telefônicas apontaram o envolvimento destas pessoas. Algumas eram gerente de casas, outras eram responsáveis por recolher o dinheiro e ainda por emprestar nomes, os conhecidos “laranjas”.

Ao todo são 101 indiciados, dos quais 39 pela Justiça Federal e o restante em processo que correm na justiça estadual, que determinou a prisão de 16 investigados.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
09:09
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)