Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

28/05/2015 10:14

Judicialização da Saúde: medidas para evitar ações foram apresentadas nesta 4ª

Agência CNM

Ações judiciais para obter o financiamento de remédios, exames, procedimentos cirúrgicos, dentre outros, têm deixado muito gestores municipais em situação complicada. A judicialização da Saúde foi tema de debate na Arena Técnica, nesta quarta-feira, 27 de maio. A plenária – parte da programação da XVIII Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios – contou com a participação de diversos prefeitos, vereadores e outros gestores. Na ocasião, a gravidade da situação foi mencionada. Além disso, medidas tomadas para conter esse tipo situação foram destacas.

O desembargador do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS), Martins Schuze, e o promotor de Justiça do Ministério Público do Estado (MPRS), Rodrigo de Morais, participaram do encontro, além da equipe técnica da Confederação Nacional de Municípios (CNM). Segundo foi mencionado no debate, o perfil de quem ingressa com esse tipo de ação é: de pessoas mais esclarecidas culturalmente, com melhor renda e, geralmente, com advogados particulares.

Acontece, conforme explanado, que os juízes recebem as ações e observam apenas o objeto, não se atentam, por exemplo: a pactuação de responsabilidade dos Entes Federados. Um exemplo de um Município do Norte, que teve a obrigação de custear uma cirurgia foi citado. De acordo com a normatização atual, cabe a União os procedimentos de alta complexidade/alto custo.

Como evitar o crescimento desse tipo de ação fez parte da apresentação do desembargador e do promotor. Eles contaram que ações de capacitação estão sendo promovidas no Estado com o judiciário e os gestores municipais.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)