Cassilândia, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

15/09/2004 08:22

Jovens também podem ser vítimas da osteoporose

Agência Notisa

Embora sejam raros casos da doença entre jovens, o cuidado com a saúde dos ossos deve começar ainda na infância. Afinal, o pico de massa óssea é adquirido até o final da segunda década de vida e, quanto melhor for esse pico, maior a proteção contra a osteoporose durante o envelhecimento.

O primeiro alerta sobre a osteoporose foi direcionado às mulheres, que, após a menopausa, ficam especialmente vulneráveis ao problema. Mas, depois, estudos mostraram que, na terceira idade, os homens também não podem menosprezar o risco da doença. Só que, na verdade, o cuidado com a saúde dos ossos deve começar bem antes, ainda na infância. Isso porque o pico de massa óssea é adquirido até o final da segunda década de vida e, quanto melhor for esse pico, maior a proteção contra a osteoporose durante o envelhecimento. Ou seja: pais e médicos precisam estar atentos aos fatores que interferem na formação dos ossos dos jovens, como a presença de doenças crônicas, o uso de remédios, os hábitos alimentares e o estilo de vida, entre outros. Até porque, apesar de relativamente raros, há casos de osteoporose entre crianças e adolescentes.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a osteoporose é uma doença metabólica caracterizada pela diminuição da massa óssea e pela deterioração da microarquitetura do tecido ósseo. Como conseqüência desses processos, os ossos se tornam frágeis e mais suscetíveis a fraturas. “O pediatra tem a responsabilidade de garantir as condições necessárias para que crianças e adolescentes desenvolvam a melhor qualidade possível de massa óssea, evitando fraturas na idade adulta”, dizem Lúcia Campos e sua equipe, da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em artigo publicado na Revista de Pediatria (número 79; volume 6). Segundo os autores, jovens do sexo feminino e da raça branca, em geral, têm os menores picos de massa óssea. Outros fatores de risco para esse problema são a puberdade tardia, a baixa ingestão de certos nutrientes (como cálcio, vitaminas e calorias), o tabagismo, o excesso no consumo de bebidas alcoólicas, o peso inadequado para a idade e a pouca atividade física.

Como a osteoporose em crianças costuma não apresentar sintomas, a investigação minuciosa dos fatores de risco é essencial para a identificação da doença. Porém, “na infância, a osteoporose é geralmente secundária a doenças crônicas”, lembram Lúcia e sua equipe no artigo. A osteoporose pode, portanto, ser causada por uma série de outras enfermidades, como inflamação intestinal, desnutrição, leucemia, insuficiência renal, asma, hipertireoidismo e anorexia nervosa. Os medicamentos usados no combate a tais doenças também podem afetar os mecanismos de reabsorção óssea, de modo que os ossos ficam mais fracos. Além disso, as enfermidades crônicas podem exigir que os jovens fiquem de cama por períodos longos, sem praticar atividade física. Resultado: “diminuição da tensão mecânica sobre os ossos e conseqüente diminuição do estímulo para sua formação”, explicam os autores no artigo.

Para a proteção dos ossos de jovens vítimas de doenças crônicas, é essencial o cuidado com a dieta. Ela deve ser rica em alimentos como leite e seus derivados, que contêm elevado teor de cálcio. Já carnes vermelhas e refrigerantes devem ser evitados. “Recomenda-se ainda a restrição da ingestão de sódio, pois, quando ingerido em grandes quantidades, aumenta a excreção renal de cálcio”, alertam Lúcia e sua equipe no artigo.

Agência Notisa (jornalismo científico - scientific journalism)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)