Cassilândia, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

16/04/2004 09:07

Jovens de MS querem emprego, educação e combate a

Marcelo Pereira

A Assembléia Legislativa de Mato Grosso do Sul realizou na tarde de hoje (15/04) uma audiência pública para discutir com jovens de 77 municípios do Estado, propostas para um documento que reunirá propostas de Políticas Públicas para a Juventude.

Segundo o deputado estadual Pedro Kemp, presidente da audiência, o evento acontece por convite da Comissão de Políticas Públicas para Juventude da Câmara Federal. O objetivo é ter um perfil dos jovens do Estado, destacando as características do cidadão e propostas para a melhoria da qualidade de vida, além de sugestões para o desenvolvimento das políticas públicas. "Hoje é uma data histórica, pois a Assembléia legislativa abre as portas para que a juventude diga suas necessidades. E não estamos aqui para falarmos pelos jovens, mas para ouvir e assumir compromissos", disse Kemp.

Kemp afirmou que as propostas vão compor um relatório final de importância para a elaboração de um estatuto nacional de Políticas para a Juventude, que inclua questões mínimas e com alternativas que correspondam às expectativas da juventude. "Não podemos reduzir os problemas e propostas dos jovens somente ao campo do combates às drogas e violência. Temos que estabelecer um projeto que identifique outros problemas como educação e trabalho", explicou o deputado.

O deputado estadual Pedro Teruel destacou que os jovens devem exigir sempre políticas relacionadas à sua vida, pois isso é um dever de cidadão. "Com a reunião de representantes de todas as cidades do Estado nós mostramos a preocupação com o assunto. E a juventude deve atuar dessa maneira, exercendo a democracia, cidadania e participando ativamente da política", disse Teruel.

O deputado federal João Grandão (PT), representante da Comissão que discute o assunto na Câmara Federal informou que já houve pelo menos 10 audiências públicas buscando envolver o debate nesse sentido. Ele garantiu que o estado já tem motivos para comemorar com esta primeira reunião. "Esse envolvimento de várias entidades, de todas as cidades do Estado mostra que temos preocupações em selecionar cada problema e apresentar soluções concretas. O estatuto de Políticas públicas para a Juventude tem tudo para dar certo. Mas é preciso lembrar que cada Estado tem uma particularidade", ressaltou. Com a implantação do projeto, o Brasil será o terceiro país do mundo, após França e Portugal, a conseguir ter um instrumento que atenda às reivindicações dos jovens.

O deputado federal considerou dois pontos como principais para a pauta de discussões. "A falta de trabalho é uma dura realidade com a qual Mato grosso do Sul vem sofrendo. Outra dificuldade com a qual os jovens têm de lidar é a falta de experiência no mercado de trabalho, muitas vezes a pessoa sai da faculdade com todas as qualificações, mas não exerce a profissão porque as empresas cobram experiência", informou João Grandão.

A deputada estadual Simone Tebet avaliou positivamente a iniciativa do deputado estadual Pedro Kemp. "É dessa forma que conseguimos mudanças e promovemos o exercício da cidadania em todas as faixas etárias. Nunca devemos esquecer de lutar e persistir na busca pelos ideais", afirmou.

O professor da Unijuí, Paulo Denisar Fraga realizou durante a audiência uma palestra sobre "Juventude: Política e Concepção". O professor enumerou características da juventude brasileira: 40% dos jovens no país vivem em famílias com rendimento abaixo de meio salário mínimo; A cada dosi desempregados do Brasil, um é jovem; 35% dos jovens não têm carteira assinada; Dois em cada três presos são jovens; Somente três em cada dez jovens tem acesso ao ensino médio. O professor lembrou a importância da camada social que tem entre 15 e 29 anos. "Eles representam 28% da população brasileira. São 48 milhões de pessoas. Isso coloca o Brasil na 5ª colocação no ranking mundial de jovens por habitante. Cerca de 50% dos jovens da América Latina vivem no Brasil, enfrentando dificuldades que aqui estão sendo apresentadas", disse o professor.

A promotora de justiça da infância e da Juventude de Campo Grande, Maria Elizabeth Dias Marques, lamentou que somente após 16 anos da criação da Constituição Federal e 14 anos da criação do Estatuto da Criança, os governantes tenham se importado com a elaboração de um Estatuto para a Juventude. Ela disse que entre as principais discussões envolvendo justiça e juventude está a redução da maioridade penal. "Algo que nós somos totalmente contra. Não é investindo em presídio que vamos garantir segurança. Os jovens acabam se tornando marginais quando são internos. E só podemos ajuda-los com programas de socialização e investindo em educação, cultura e lazer. Além de oferecer uma educação religiosa", acredita a promotora.

"A juventude de Mato Grosso do Sul é muito heterogênea. Temos jovens urbanos, rurais, quilombolas, indígenas, skatistas e ligados ao movimento musical como Sertanejo, Hip Hop e Rock'n Roll". Assim definiu o assessor especial de Políticas Públicas para a Juventude, Ilmar Renato Fonseca. Uma das propostas defendidas pelo representante do governo foi a elaboração de políticas que privilegiem a educação sexual na escola e combate à violência. "Temos que criar propostas para prevenir e não remediar" indicou Ilmar Renato.

O deputado estadual Pedro Kemp, propositor da audiência, apoiou a melhoria no acesso ao ensino, incluindo ampliação de vagas no ensino superior e a criação do campus da UEMS - Universidade do Estado de Mato Grosso do Sul; Além disso, citou a adoção de políticas específicas para a erradicação do suicídio indígenas, que segundo o parlamentar está ocorrendo com pessoas cada vez mais novas devido aos conflitos pela posse de terra e à perda de identidade cultural. Gravidez na adolescência e o regime de cotas para negros e indígenas foi considerado pelo deputado como pautas importantes para as discussões que prosseguiram na noite desta quinta-feira e continuam amanhã, a partir das oito horas.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)