Cassilândia, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

15/08/2005 07:07

Jovens de baixa renda está fora da escola, diz relatório

Lana Cristina - Agência Brasil

A falta de acesso à educação e o analfabetismo são os principais problemas apontados no relatório sobre a juventude brasileira, feito por mais de 40 organizações não-governamentais e entregue ao governo na última semana. O documento, intitulado "Tirando Acordos do Papel", mostra que a maioria dos jovens de baixa renda está fora da escola. Além disso, a representante do grupo Interagir, uma das ONGs (organizações não-governamentais) que participaram da elaboração do estudo, Renata Fiorentino, observa que é preciso ter políticas públicas que garantam a permanência dos jovens nas salas de aula e que concluam os cursos, seja do ensino fundamental, médio ou superior.

O governo, aponta o relatório, tem desenvolvido ações para combater o analfabetismo e para aumentar o número de jovens na escola. No documento, há dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que revelam certo avanço na inclusão de jovens no sistema educacional e o aumento do nível da escolaridade. Em 10 anos, de 1992 a 2002, o percentual de analfabetos caiu de 16,4% da população brasileira para 10,9%. As ONGs atribuem esse resultado aos investimentos dos governos federal, estadual e municipal em programas de Educação de Jovens e Adultos e às bolsas educação que reduzem o trabalho infantil.

No "Tirando Acordos do Papel", porém, há a conclusão de que a permanência dos jovens que têm acesso à escola é baixa, principalmente na rede pública. E o principal motivo é o desinteresse, atribuído à baixa qualidade do ensino, a problemas de infra-estrutura e à má remuneração dos professores. A situação financeira também é apontada como causa da evasão escolar entre os jovens. "Não adianta ter matrícula, se não tem mecanismos de permanência do aluno na escola. Isso vale para ensino básico, médio e até universidade. É importante também garantir que os programas garantam a conclusão do curso e conhecimento adquirido", diz Renata Fiorentino.

Para a representante da ONG Interagir, a falta de qualidade é uma das deficiências mais graves do ensino. Ela lamentou alguns dos resultados apontados na última pesquisa do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), feita regularmente pelo Ministério da Educação. "No último Saeb, viu-se que só 3% dos alunos tinha conhecimento adequado na área de matemática. É ridículo falar que se vai desenvolver um país quando se tem um dado desse. Um governo que não consegue qualificar sua população não se desenvolve nunca. E matemática é uma das áreas básicas".

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)