Cassilândia, Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017

Últimas Notícias

16/12/2007 06:45

José Dirceu recomenda a governo que se dedique à reforma

Cristiane Ribeiro /ABr

Rio de Janeiro - A extinção da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) foi uma derrota política para o governo, que agora deve pensar em uma reforma tributária e não mais na tentativa de reeditar o tributo a partir do ano que vem. A avaliação foi feita ontem (15) pelo ex-ministro da Casa Civil e deputado cassado José Dirceu.

Uma das principais figuras no primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Dirceu foi além. Segundo ele, o PT e o PSDB, ou seja, governo e oposição, deveriam sentar e construir uma proposta de reforma política e tributária para o país.

“O presidente Lula e o governo cederam a tudo o que a oposição pediu e no final a CPMF foi rejeitada. Não havia razão, mas é um direito deles”, declarou Dirceu. “Agora tem que tocar para frente e a melhor opção seria aproveitar esse momento para fazer reformas, como já ocorreu no México e está ocorrendo em Portugal e em vários outros países”, acrescentou.

Para Dirceu, o fim da CPMF não impedirá que a economia do Brasil continue em trajetória de crescimento. Para ele, o governo pode fazer uma série de ajustes, como cortar gastos e reduzir o superávit primário (economia de recursos para pagar os juros da dívida pública), além de fazer concessões e parcerias com o setor privado. Ele, no entanto, ressaltou que o presidente Lula “saberá tomar as decisões nas áreas adequadas e as melhores para o país”.

A CPMF foi instituída em 1996 por meio de emenda constitucional, sendo cobrada nas movimentações bancárias com o objetivo de aumentar a arrecadação do governo e garantir investimentos na área da saúde. Extinto em 1999, o tributo foi reeditado até 2003 e depois até dezembro deste ano. Inicialmente, a alíquota sobre a movimentação das contas bancárias era de 0,25% e hoje é de 0,38%.

Dirceu deu as declarações nas comemorações do centenário do arquiteto Oscar Niemeyer, na Casa das Canoas, em São Conrado, na zona sul do Rio de Janeiro. Durante todo o dia, políticos, escritores e artistas cumprimentaram o arquiteto no local, projetado por Niemeyer nos anos 50 e tombado recentemente pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 20 de Novembro de 2017
Domingo, 19 de Novembro de 2017
11:00
Mundo Fitness
Sábado, 18 de Novembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)