Cassilândia, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

13/10/2008 15:34

Jogadores ressaltam importância de registro dos filhos

O jogador meio-campo Ricardo Leite, o Kaká pediu que os pais se esforcem para dar aos filhos uma certidão de nascimento logo após o parto.

O apelo foi parte da mensagem que Kaká gravou para a tevê na parceira firmada entre o Conselho Nacional de Justiça e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), pela proteção à infância.

Os vídeos com vários jogadores foram feitos na última quinta-feira, na Granja Comary, e serão distribuídos pela TV Justiça e pela Rádio Justiça a todas as emissoras interessadas em divulgar o projeto “Nossas Crianças”.

Kaká experimentou há quatro meses o funcionamento dos cartórios de registro civil, quando Luca, o primogênito do jogador, nasceu em São Paulo. No hospital havia um cartório, motivo pelo qual a documentação foi feita rapidamente.

“Foi tão simples que eu até procurei descobrir se tinha sido só no meu caso, mas disseram que todos recebem o mesmo tratamento”, contou, lembrando que, em qualquer lugar, o registro civil é gratuito.

“Sei que nem todas as famílias têm a facilidade de registrar as crianças nos hospitais onde nascem, porque nem todo hospital tem o cartório, mas uma pessoa não pode ficar sem registro”, ponderou.

Estatísticas mostram que de 12 a 13% dos nascidos no Brasil saem das maternidades sem o registro, e muitas deles levam anos para conseguir uma certidão de nascimento. Com isso, ficam à margem da sociedade, e não podem participar dos direitos e dos deveres sociais.

Na opinião do goleiro Júlio César (foto), ter uma certidão de nascimento é elementar. “Eu não consigo imaginar o que é chegar num garoto e perguntar o nome e ele não ter nenhum documento que diga qual é mesmo o nome dele. Afinal, o nome da gente diz quem somos. “Vamos dar oportunidade para essas crianças não-registradas se sentirem parte do Brasil”, pediu na gravação da sua mensagem aos pais.

O comandante da seleção brasileira, Carlos Caetano Bledorn Verri, o Dunga, vê a falta da certidão de nascimento como resultado de desinformação. “

Tem trabalhador que sai às cinco da manhã e volta à noite, não tem como se informar, então o filho dele ouve as coisas na escola e traz para casa”, afirmou, justificando a necessidade de uma campanha como a do Conselho Nacional de Justiça em prol do registro civil chegar às salas de aula.

Cadastro de Adoção
Na mesma época em que Kaká registrava o primeiro filho, a família do assistente de Dunga, o pentacampeão Jorginho, pensava em adotar a garota Vitória, que esperava por uma família numa instituição social do Rio de Janeiro. Como estava envolvido com as Olimpíadas, Jorginho decidiu esperar a volta para o Brasil para levar a menina para casa.

“Mas ela foi adotada antes por outra família muito amorosa, e nós então ficamos felizes por ela, mas também fiquei triste porque eu sonhei com isso”, reconheceu.

Jorginho pediu menos burocracia para a adoção. “A gente passa sufoco para adotar”. Por isso ele acredita no Cadastro Nacional de Adoção, que começou a unificar as listas de famílias e crianças disponíveis em todos os lugares do País há seis meses.

O cadastro é um banco de dados que auxilia juízes nas Varas de Infância e Juventude com informações sobre adoção e também sobre abrigos que recebem crianças e adolescentes órfãos ou que vivem longe dos pais. Os próprios juízes incluem no cadastro os dados sobre sobre adultos que pretendem adotar e crianças que aguardam pais adotivos.

Kaká lembrou que a adoção precisa ser feitas com muito critério: “A família que decide adotar deve ser compromissada em dar a melhor educação e carinho para a criança cujos pais não tiveram condições de criá-la”, destacou.

Conheça o programa
“Nossas Crianças” é um programa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e tem como enfoque ressaltar o dever de todos em proteger crianças em risco.

Comandado pelo Poder Judiciário brasileiro, “Nossas crianças” levará juízes de todo o País a atuar, em parceria com a sociedade, no combate à prostituição infantil, ao seqüestro de crianças e ao envolvimento delas na criminalidade. Além disso, a campanha divulgará o Cadastro Nacional de Adoção e a necessidade do registro civil ser feito ainda nos primeiros dias de vida da criança.

A participação da CBF e dos jogadores será dar publicidade aos projetos e falar na mídia sobre a importância de proteger os direitos dos pequenos.
MG/EH

Fonte: STF

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
09:00
Maternidade
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)