Cassilândia, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

29/03/2006 18:05

Jobim preside sua última Sessão Plenária no Supremo

STF

Em seu último dia no comando da Suprema Corte brasileira, o ministro Nelson Jobim levou ao plenário uma série de ações, dos mais variados assuntos, que dependiam da apresentação de seu voto.

Uma questão retomada nesta quarta-feira (29/3) trata da gratuidade do registro civil e da certidão de óbito aos reconhecidamente pobres e dos atos necessários ao exercício da cidadania. São duas ações: a Ação Declaratória de Constitucionalidade (ADC 5) e a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 1800).

A ADC foi proposta pela Procuradoria Geral da República com o objetivo de pacificar decisões judiciais contraditórias em outras instâncias a respeito da validade ou não dos artigos 1º, 3º e 5º da Lei 9.534/1997, que garante as certidões gratuitas aos reconhecidamente pobres. Na ação, a PGR pede que o Supremo declare que os dispositivos questionados estão em conformidade com o texto constitucional. No caso da ADC a liminar foi deferida para confirmar a lei.

Já a ADIN foi proposta pela Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg) para pedir exatamente o contrário que os mesmos dispositivos da lei sejam considerados inconstitucionais. No caso desta ação, o plenário indeferiu o pedido dos cartórios e manteve também a validade da lei.

A entidade que representa os cartórios argumenta que os pontos da lei que tratam da gratuidade de registros civis aos reconhecidamente pobres devem ser considerados inconstitucionais. Alega a Anoreg que tais dispositivos ferem o princípio constitucional da proporcionalidade.

Ao iniciar o julgamento de mérito das duas ações, o ministro Nelson Jobim, relator, disse ao Plenário que elaborou um longo voto para defender a natureza fundamental da gratuidade dos documentos aos reconhecidamente pobres. Após a manifestação de Jobim, o julgamento foi suspenso por um pedido de vista do ministro Ricardo Lewandowski.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
13:15
Cassilândia
09:00
Maternidade
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)