Cassilândia, Sexta-feira, 22 de Setembro de 2017

Últimas Notícias

25/05/2005 08:50

Integração MS-MT-GO visa coibir crimes na fronteira

Saul Schramm Jr. APnSaul Schramm Jr. APn

Mato Grosso do Sul une-se a Mato Grosso e Goiás no patrulhamento e combate ao crime organizado nas regiões de fronteira. O convênio interestadual foi formalizado hoje durante o 2º Encontro Regional de Gabinetes de Gestão Integrada (GGI) de Centro-Oeste, e tem como principal objetivo promover ações conjuntas de policiamento preventivo (envolvendo também a fronteira com a Bolívia e o Paraguai) e de entrosamento entre as polícias judiciárias dos Estados envolvidos.

Para o secretário de Justiça e Segurança Pública, Antônio Braga, este convênio significa alargar fronteiras e atingir também os principais interessados, ou seja, a população, na busca pela chamada “regionalização para fora” e “regionalização para dentro” (termos usados pelo secretário nacional de Segurança Pública).

“Nós estamos alargando nossas fronteiras, nós vamos trocar experiências, combater o crime de uma forma sintonizada. Esses Estados têm problemas comuns, temos fronteiras, mas às vezes os governos fazem políticas diferentes. Temos que ser ágeis e essa é a razão de interagir as forças dos três Estados”, diz Antônio Braga, explicando a chamada “regionalização para fora”.

No que diz respeito à chamada “regionalização para dentro”, ele diz que o Estado é pioneiro: “nós estamos sempre na frente. Já estamos com a política de segurança comunitária implantada, estamos fazendo com que os prefeitos interajam em ações de segurança pública e estamos voltando as ações para os municípios. Hoje quase todo prefeito participa, contribui com a segurança pública. Então, a secretaria segue à risca essas ações de cunho social de políticas públicas sociais, que são a marca desse governo”.

Para o vice-governador e secretário Egon Krakhecke (Planejamento, Ciência e Tecnologia), o trabalho de integração que vem sendo efetuado, integrando órgãos de segurança pública é de extrema importância, “e agora, esta iniciativa de prevenção e combate ao crime organizado - que transita muito nessa região de fronteira - é resultado do entendimento de que o poder público deve se colocar à frente de quaisquer outros interesses no objetivo de aumentar a eficiência dos órgãos de segurança”.

De acordo com o que explicou o secretário nacional de Segurança Pública, Luiz Fernando Corrêa, a formalização do acordo entre os Estados vizinhos atende a uma política nacional de cooperação entre as esferas do governo, voltada para a prestação de serviços de segurança para a população. Corrêa diz que o convênio assinado hoje permite, de imediato, ações entre polícias civis, polícias militares, corpo de bombeiros e polícias rodoviárias nas regiões de divisa e regiões de fronteira internacional.

“É o compromisso de cooperação em ações de policiamento ostensivo, repressivo, investigações e permuta de informações. Nós queremos é padrão, uma doutrina nacional de polícia investigativa, além de equipamentos que permitam que as polícias se agrupem e operem em conjunto”, diz Luiz Fernando.

Ele comenta ainda a importância do acordo sair do papel e se converter em ações práticas que permitam o trabalho conjunto entre os Estados: “não adianta eles [os Estados] assinarem esse acordo aqui se os rádios deles não se falam, se num tiroteio um colega de Mato Grosso do Sul está com uma pistola 9 mm e um outro está com uma pistola calibre 40, aí termina a munição de um no meio do tiroteio e o outro, com munição sobrando, não pode ceder para ele. Enfim, são essas coisas bem pragmáticas que nós estamos construindo aqui”.

Estiveram presentes na assinatura do convênio o diretor-geral adjunto da Polícia Civil de Mato Grosso, Pedro Manzan; o secretário-adjunto da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Distrito Federal, Sérgio de Oliveira Coelho (representando o secretário Athos Costa de Faria); o secretário-adjunto da secretaria de segurança pública de Goiás, Waldir Marques de Souza; o comandante-geral da Polícia Militar de Mato Grosso, Leovaldo Emanuel Sales; o comandante-geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, José Ivan de Almeida; e outras autoridades de segurança pública e dos ministérios públicos federal e estadual.

Vevila Junqueira - APn

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 22 de Setembro de 2017
Quinta, 21 de Setembro de 2017
10:00
Receita do dia
06:20
Libertadores da América
Quarta, 20 de Setembro de 2017
21:22
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)