Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

18/03/2008 17:52

Informações de Campo Grande sobre o retorno de Donizete

Humberto Marques/Campo Grande News

O desembargador Claudionor Miguel Abss Duarte, presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, tornou “sem efeito” a medida que afastava o prefeito José Donizete Ferreira de Freitas (PT) da administração de Cassilândia. A decisão foi emitida ontem e, obedecendo ao princípio de isonomia, também beneficiará os demais acusados de desvio de recursos públicos da prefeitura – o vice-prefeito Sebastião Pereira da Silva (o “Tião da Marieta”, do PSB) e os servidores Ivete Vargas Rocha de Souza, Jorge Yoshishilo Kobayashi, Luceni Quintino Correia e Orange Rezende e Silva.

O recurso à decisão tomada na Comarca de Cassilândia pedia a extinção da medida de afastamento, por conta da conclusão da fase instrutória do processo. Freitas, seu vice e servidores da prefeitura foram alvo de investigações de uma força-tarefa composta pelo Ministério Público Estadual e pelas polícias Civil e Militar – intituladas operações “Judas” e “Pilatos”, em 2007 – de efetuarem um esquema de desvio de dinheiro público através de um esquema que usava notas frias e “vales”, sacados diretamente do caixa da prefeitura.

Abss Duarte acolheu alegação do investigado, de que a conclusão da etapa de produção de provas terminou e, com isso, não havia motivo em se manter o prefeito afastado. E fez considerações sobre a medida anterior, afirmando que “a determinação fora dos limites ali estabelecidos extrapolaria a vontade do legislador, ferindo o princípio da legalidade. A alegação vazia de que nada impedirá o acusado de prosseguir na apropriação ilegal do tesouro municipal é tão válida para o peticionante quanto para qualquer cidadão que venha a assumir a condição de prefeito municipal”.

O desembargador ainda ressaltou que o afastamento foi determinado diante da “possibilidade” de que os acusados poderiam interferir nas investigações. Além disso, ressaltou que Freitas foi eleito prefeito de Cassilândia através de eleições livres, “sobre a qual não se questiona a legalidade”. Finalmente, o presidente do TJ destacou que o afastamento a partir de inquérito policial resultante da “operação Judas” deve ser encarado sob três pontos: de que o recebimento da denúncia não implica afastamento automático, o que deve ser feito em situações excepcionais; de que a instrução do processo-crime já está concluída; e de que há apenas um processo sobre o afastamento a novamente entrar em fase instrutória.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)