Cassilândia, Domingo, 27 de Maio de 2018

Últimas Notícias

03/01/2005 14:44

Inflação de 2004 fica em 7,47%, segundo pesquisa

Stênio Ribeiro/ABr

A última pesquisa de mercado realizada pelo Banco Central em 2004, divulgada hoje, indica que a inflação de dezembro, a ser divulgada na próxima semana pelo Instituto brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), será em torno de 0,74%. Com isso, a inflação acumulada no ano, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), chegará aos 7,47%.

O índice fica, portanto, acima dos 7,4% previstos pelo BC no relatório trimestral de inflação, divulgado na última terça-feira, e longe do centro da meta de 5,5% definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) que estipulou também uma tolerância de 2,5 pontos percentuais para mais ou para menos. A inflação quase chegou ao teto da "margem de erro".

As expectativas de analistas de mercado e de instituições financeiras melhoraram um pouco, porém, em relação à inflação futura. De acordo com a pesquisa realizada pela Gerência de Relações com Investidores (Gerin) do BC, o IPCA de janeiro será mais baixo que o do mês passado, situando-se em torno de 0,60%.

Segundo o Boletim Focus, este é o primeiro passo para que em 2005 o IPCA (índice que serve de parâmetro para as metas) caia para 5,70%. A projeção fica acima da meta de 4,5% estipulada pelo CMN e posteriormente ajustada pelo BC para 5,1%, sob a justificativa de que a "inércia inflacionária" de 2004 se refletiria nos preços de 2005. Apesar do ajuste, o BC começa o ano acreditando em inflação de 5,3%.

De acordo com o Boletim Focus, o mercado trabalha com a hipótese de que os reajustes de preços no mercado atacadista cairão à metade, na média, ao longo de 2005. Tanto o índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) quanto o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI), que em 2004 registraram aumentos acima de 12%, neste ano devem se situar em torno de 6,50%.

Mais uma vez, um dos fatores que mais contribuíram para elevar a inflação foi o segmento de serviços monitorados e de preços administrados. Os reajustes de combustíveis, energia elétrica, telefonia, transporte público e outros acumularam 9,86% no ano, contra IPCA preliminar de 7,47%. O segmento tem peso médio de 28% na composição do cálculo do IPCA.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 27 de Maio de 2018
Sábado, 26 de Maio de 2018
14:57
Cassilândia
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)