Cassilândia, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

07/04/2014 09:15

Infarto: assunto do momento

Especialista explica o que é, como acontece, quais sintomas e quais sinais que devemos dar atenção para evitar que esse mal aconteça com alguém perto de você

Fábio Cardoso*

Na manhã desse sábado dia 05/04 um dos maiores atores brasileiros, José Wilker nos deixou, vítima de um infarto fulminante, aos 66 anos.

Há algumas semanas Renato Aragão já tinha acontecido com o humorista Renato Aragão. Assunto do momento, o que é, como acontece, quais sintomas e quais sinais que devemos dar atenção para evitar um infarto é o que o Dr. Fábio Cardoso, especialista em medicina preventiva e longevidade nos ensina a seguir.

Parece raro, mas a cada 3 infartos que acontecem, 1 é fulminante. Ou seja, a pessoa nunca teve nenhum tipo de sinal ou sintoma e no primeiro episódio, ela morre. Uma chance de 3 pra 1, é uma chance pior que fazer roleta russa com um revolver calibre 32, que no tambor tem 6 “chances”, dando 6 pra 1.

O infarto, mesmo quando não é fulminante, não é raro, segundo a Organização Mundial de Saúde, as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo.

No entanto, quando alguém enfarta pensamos que esta pessoa ficou doente naquele momento uma ideia bem equivocada, na verdade, ela “começou” a enfartar há 20, 30, 40 anos antes, pois hoje já se sabe, através de estudos que já existe alterações na parede das artérias em crianças de 6 ou 7 anos.

Sendo uma doença que demora décadas para causar sinais e sintomas, com segurança afirmamos que pode ser prevenida ou no mínimo postergada com redução de sua intensidade.

Segundo Dr Fábio, precisamos conhecer o que é, o que causa e como evitar, para reduzir os riscos, pois pode acontecer com um amigo, um parente, um vizinho ou um simples conhecido, todo mundo sempre conhece alguém que já sofreu um infarto do miocárdio. Prova disso são os números divulgados pelo Ministério da Saúde que somam cerca de 300 mil infartos por ano no Brasil, provocando, em média, 80 mil mortes anualmente, em outras palavras, a cada cinco minutos, ocorre uma morte por infarto no Brasil, assustador.

O que é o infarto?

O infarto do miocárdio é a morte de uma região do músculo cardíaco devido à interrupção abrupta por um coágulo, do suprimento de sangue através da artéria que irriga aquela determinada região.

O infarto manifesta-se clinicamente através de dor, instabilidade do sistema de transmissão e geração de impulsos elétricos que fazem o coração bater, podendo levar à "fibrilação ventricular", um ritmo caótico (não confundir com fibrilação atrial) equivalente a uma parada cardíaca, que necessita ser revertido urgentemente ao ritmo normal sob pena de provocar-se dano irreparável ao cérebro por falta de oxigenação adequada ou mesmo a morte do paciente. Aproximadamente 40-50% das pessoas que sofrem um infarto não sobrevivem a tempo de ser atendidas. Já dentre os pacientes que conseguem chegar a um hospital, pelo menos 90% sobrevivem e têm alta hospitalar.

O que causa o infarto?

Um infarto é provocado pela formação de um coágulo de sangue por sobre uma placa de colesterol localizada na parede interna de uma artéria que irriga parte do coração (as artérias assim chamadas coronárias são duas, a direita e esquerda que se ramificam em várias outras). Mas não é qualquer colesterol, é um colesterol “oxidado”, que sofre alterações, e que se deposita nas paredes das artérias e começa a produzir uma placa ateromatosa que é base para gerar a obstrução. Tanto é verdade, que somente 40% das pessoas que têm colesterol elevado no sangue é que terão eventos de obstrução arterial, 60% não provoca sua acumulação indesejável na camada mais interna das artérias, aí provocando uma espécie de reação inflamatória, cujo início pode se dar na adolescência ou mesmo na infância. Este processo denominado aterosclerose, progride, podendo ser acelerado por fumo, pressão alta e diabete e leva ao estreitamento dos vasos. As "placas de aterosclerose" podem em certos momentos, se romper e o sangue circulante coagula em torno delas. Se esse coágulo for suficientemente grande, toda a circulação de sangue através daquela artéria é interrompida e ocorre o infarto. Diferente da isquemia, onde o coração sofre, mas está vivo, o infarto representa a morte de toda aquela região irrigada pela artéria comprometida.

Quais são os sinais e sintomas do infarto?

O sintoma mais comum é a dor opressiva, em "aperto", no centro do tórax, de localização imprecisa, que pode se irradiar para pescoço, costas e braços ( a "famosa" irradiação para braço esquerdo é apenas uma das possibilidades). Já ouvi pacientes que estava atendendo durante o infarto que parecia que “um elefante estava sentado em cima do meu peito”. O paciente é em geral acometido deste sintoma nas primeiras horas da manhã ou madrugada, mas pode ocorrer em qualquer horário. Não é comum a ocorrência de infarto durante ou logo após exercício físico, como muitos acreditam. Cerca de um quarto dos infartos pode ocorrer sem dor. Outros sintomas associados ou não, são os suores, a palidez, sensação de "queimação" no tórax ou porção superior do abdome, mal estar generalizado, náusea, falta de ar.

Como se diagnostica o infarto?

Combinação de sintomas e alterações características no eletrocardiograma é a forma mais simples, mas a confirmação é feita através da colheita de sangue na unidade de emergência ou na unidade coronariana, para dosagem de certas enzimas que são liberadas na circulação decorrentes da morte do tecido muscular cardíaco e consequente dissolução das membranas das células.

Como se trata o infarto?

O objetivo é obter o mais precocemente possível a "reperfusão" da área atingida, ou seja, reabrir a artéria ocluída e restaurar o fluxo sanguíneo. Uma vez atingido este objetivo, interrompe-se o processo de morte do músculo e a dor desaparece. Quanto mais precoce a reperfusão, maior a quantidade de músculo salvo e melhor o prognóstico do paciente, que dependerá essencialmente da habilidade do músculo cardíaco remanescente em manter a vida do indivíduo sem maiores sacrifícios.

Como se evita o infarto?

Os estresses do cotidiano acompanhados de fatores de risco como diabetes, tabagismo, hipertensão arterial, alto índice de colesterol, sedentarismo, obesidade e histórico familiar de problemas coronarianos podem levar uma pessoa ao infarto, independente de idade ou sexo.

O cigarro é o maior fator de risco. O fumo aumenta cinco vezes o risco de infarto. A nicotina é um vaso constritor (provoca contração) que reduz o calibre dos vasos sanguíneos e produz lesões na parede que recobre internamente esses vasos. Segundo o Ministério da Saúde, o tabagismo é responsável por 25% das mortes no país causadas por doença coronariana (angina e infarto do miocárdio) e 45% das mortes na faixa etária abaixo de 65 anos por infarto agudo do miocárdio. Tão importante, que a eliminação do cigarro reduz a mortalidade por infarto em 35%. E se reduzir a obesidade e controlar o diabetes, conseguimos diminuir a mortalidade em 80%.

Resumindo - Para evitar o infarto dicas do Dr Fábio Cardoso:

- Parar de fumar

- Perder peso

- Exercícios físicos

- Controle sua alimentação

A) escolha alimentos saudáveis

B)Evite alimentos processados

- Controle seu colesterol

- Controle sua pressão arterial

- Controle diabetes

São as pequenas escolhas no dia a dia, o que comemos se “achamos” tempo para se exercitar a manutenção de vícios (álcool e tabagismo), entre outros, são as “reais” causas do infarto. É responsabilidade de cada um, evitar o sofrimento, ou como vimos a própria morte.

Dr Fábio Cardoso:

Especialista em Anestesiologia, Longevidade e Anti-Envelhecimento, Pós-graduado em Medicina do Esporte,

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)