Cassilândia, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

26/01/2007 15:46

Indústrias investem mais em questões ambientais

Thais Leitão

As indústrias brasileiras estão investindo mais na chamada tecnologia limpa (que não agride o meio ambiente0. É o que constata pesquisa divulgada hoje (26) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com a pesquisa, de 1997 a 2002, o investimento em controle ambiental (aquisição de máquinas e equipamentos, construção de estações de tratamento e despesas com o funcionamento de aparelhos que não poluem o ecossistema) deu um salto de 83,9%, descontando-se a inflação no período. Em 1997, as empresas destinaram a essa área R$ 10,5 bilhões. Em 2002, os investimentos no setor já somavam R$ 22,1 bilhões.

Para o técnico do IBGE Paulo Gonzaga, esse movimento reflete uma maior consciência ambiental por parte das empresas, mas também pressões do mercado.


“Há vários determinantes, como aumento da consciência ambiental, pressões da sociedade através de leis e os desastres ambientais que levaram as empresas a adotar uma postura mais ativa nessa área. É uma estatística só de esforço, e não de resultados, mas percebemos claramente que há um esforço crescente entre as indústrias brasileiras, e isso se traduz em maiores investimentos”, diz.

Gonzaga destacou que o mercado externo é cada vez mais exigente em relação ao cumprimento de normas ambientais. Segundo a pesquisa, o receio das organizações de que danos ambientais prejudiquem a imagem corporativa e o maior rigor das agências de regulação ambiental também influenciaram esse crescimento.

A pesquisa revela que aumentou o número de empresas que direcionam parte de seus recursos à questão ambiental, e elas são principalmente grandes organizações. Em 1997, as indústrias com esse tipo de preocupação, que somavam 3.823 empresas, representavam 34,1% do total da produção industrial; em 2002, já havia 6.691 indústrias que investiam em controle ambiental e elas respondiam por 48,2% do total da produção.

Outra constatação é que o valor investido pelo conjunto das empresas aumentou de 13,9% para 18,7% no período. O movimento foi puxado, principalmente, pela indústria de transformação, cujo aumento nesses investimentos foi de 92,6%.

No primeiro ano de investigação, os setores de alimentos e bebidas eram os principais investidores em controle ambiental, já em 2002 a maior concentração dos investimentos passou para as divisões de fabricação de coque, refino de petróleo, elaboração de combustíveis nucleares e produção de álcool.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)