Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

02/01/2006 13:34

Índios Guarani-Kaiowá querem continuar em acampamento

Juliana Cézar Nunes/ABr

Cerca de 400 índios Guarani-Kaiowá estão acampados há 18 dias à beira da estrada que liga os municípios de Bela Vista e Antônio João, em Mato Grosso do Sul. Apesar das condições precárias, eles não estão dispostos a sair do local até que uma nova decisão judicial devolva a área de 9,3 mil hectares homologada em favor da tribo em março do ano passado.

Os Guarani-Kaiowá foram despejados por ordem judicial da terra Nhande Ru Marangatu em dezembro, duas semanas depois de o Supremo Tribunal Federal (STF) cancelar a homologação da área. Os ministros do STF devem reavaliar o caso em fevereiro. Até lá, os governos federal, estadual e municipal pretendiam abrigar os índios em fazendas ou espaços públicos próximos à região.

"Em hipótese alguma vamos aceitar propostas que nos distanciem mais da nossa terra. Não vamos largar uma coisa que é nossa, que serve de mãe pra nós. A nossa terra é insubstituível", afirma o líder indígena Guarani-Kaiowá Isaías Sanches Martins. "Esperamos que a Justiça resolva logo essa questão. Não estamos acampados porque gostamos disso, mas porque é necessário na nossa luta."

O coordenador da Fundação Nacional do Índio (Funai) em Mato Grosso do Sul, Odenir Oliveira, considera precária a situação dos índios acampados e já alertou sobre o risco de morte das crianças, mais vulneráveis à desidratação. Oliveira entende a resistência dos índios de deixar as proximidades da área, demarcada pela Funai e homologada por decreto presidencial.

"Eles sabem que se saírem dali perdem a capacidade de mobilização. A tendência é que aconteça uma acomodação em que não se buscaria a melhor solução para os índios", avalia o coordenador da Funai. "Queremos que eles voltem a fazer algum tipo de plantio ou produção em locais próximos. A intenção é arrendar uma área dentro dos 9,3 mil hectares para que eles não percam a possibilidade de ocupação mínima da terra."

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)