Cassilândia, Terça-feira, 22 de Maio de 2018

Últimas Notícias

08/10/2005 06:35

Índios fazem acordo e desocupam Aracruz Celulose

Adriana Franzin - Agência Brasil

Os índios das tribos Tupinikim e Guarani desocuparam ontem (7) o complexo de três fábricas da empresa Aracruz Celulose, no município de Aracruz (ES). O protesto, que começou quinta (6) às 9 horas, só terminou às 15h30 de ontem (7) após acordo com o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Mércio Pereira Gomes.

A Funai se comprometeu a fazer uma proposta de ampliação da reserva indígena – 7 mil hectares homologados na aldeia Macacos –, junto com a Advocacia Geral da União e a Procuradoria-Geral da República. A proposta prevê ampliação da área em mais 11 mil hectares, já reconhecidos como de origem indígena pela Funai. O deputado Cláudio Vereza (PT-ES) explicou que "todos os que têm que defender a portaria de ampliação vão avaliar as hipóteses, possibilidades, acrescentar novos dados e, a partir daí, apresentar uma proposta".

Em nota divulgada quinta (6), os índios afirmam que a multinacional Aracruz Celulose ocupa há 35 anos o território da aldeia Macacos e responsabilizaram a empresa "pelos principais problemas que vivemos durante todos esses anos".

Segundo o cacique tupinikim Paulo Henrique Vicente Oliveira, será formada uma comissão para ir a Brasília nos próximos 15 dias e "saber dos riscos e possibilidades da defesa, no caso de uma contestação à proposta", que será apresentada ao ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 21 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Domingo, 20 de Maio de 2018
15:18
Cassilândia/Itajá
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)