Cassilândia, Quarta-feira, 26 de Abril de 2017

Últimas Notícias

26/02/2009 12:54

Índice que reajusta aluguel sobe 0,26% em fevereiro

Marli Moreira , ABr

São Paulo - Depois de registrar deflação de 0,44% em janeiro, o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) teve alta de 0,26% em fevereiro, segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV). Essa elevação foi provocada, principalmente, pelo avanço verificado em dois componentes do IGP-M: o Índice de Preços por Atacado (IPA) que teve alta de 0,20%, ante -0,95%, e o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), que chegou a 0,35%, ante 0,26%.

No caso do IPA, entre os subgrupos pesquisados, foi constatada aceleração em veículos e acessórios (de -6,45% para 0,17%). Em materiais e componentes para manufatura, a taxa se manteve em queda (-0,44%), mas o resultado indica um processo de recuperação, uma vez que na pesquisa anterior a redução havia sido mais acentuada (-2,00%).

Em relação a matérias-primas brutas, os itens bovinos mantiveram-se, na média, com variação negativa (-0,78%), ante o índice de -4,56% da pesquisa anterior. O preço do café em grão disparou, atingindo alta de 7,12%, ante deflação de 1,03%). A soja em grão também registrou alta, subindo de 5,16% para 5,84%. Já o arroz em casca caiu de -0,30% para -4,15%; a mandioca, de -3,41% para -9,29%; o milho em grão, de 9,71% para 5,47%.

Quanto ao segmento da construção civil, a pesquisa apurou elevação de preços dos materiais, de 0,20% para 0,31% e da mão-de-obra, de 0,17% para 0,29%.

O único componente do IGP-M em desaceleração foi o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que passou de uma alta de 0,75% para 0,40%. Seis dos sete grupos que formam o IPC apresentaram variações menores, com destaque para alimentação (de 0,96% para 0,25%). Essa desaceleração está associada principalmente à queda nos preços das frutas (de 3,82% para -1,48%); redução no ritmo de remarcações das hortaliças e legumes (de 5,35% para 2,21%) e recuos mais expressivos referentes a carnes bovinas (de -0,23% para -1,37%).

Os demais grupos que reduziram a velocidade de aumentos são: educação, leitura e recreação (de 2,30% para 1,59%), transportes (de 0,85% para 0,52%), habitação (de 0,30% para 0,24%) e despesas diversas (de 0,36% para 0,35%). Já o grupo saúde e cuidados pessoais indicou aceleração, passando de uma alta de 0,49% para 0,63%, o que é atribuído à elevação de preço dos remédios (-0,14% para 0,34%).

O IGP-M é usado como base no cálculo de reajustes de aluguéis, entre outros.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 26 de Abril de 2017
Terça, 25 de Abril de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)