Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

28/01/2006 08:39

Índice de abandono do tratamento da hanseníase cai em MS

Agência do Rádio

O número de pacientes que abandonam o tratamento da hanseníase é cada vez menor em quase todo o País. No Mato Grosso do Sul, 184 portadores da doença deixaram o tratamento em 2005, contra 208 pacientes em 2004. A redução decorre da atualização de registros e devido ao intenso trabalho de convencimento e busca dos hansenianos para que retornem ao tratamento. O quadro foi gerado graças à implantação de um modelo de apoio elaborado pela Secretaria de Vigilância em Saúde, que coordena o Plano Nacional de Eliminação da Hanseníase. O sistema mantém os dados sobre os pacientes e a doença atualizados. Os resultados foram alcançados por meio da decisão política dos governos estaduais que decidiram investir nos sistemas de atualizações dos cadastros para obter resultados melhores. O Minist ério da Saúde enviou cartas de eliminação da hanseníase aos Estados para reduzir ainda mais os números de abandono do tratamento à doença. A coordenadora do Plano Nacional de Controle da Hanseníase, Rosa Castália afirma que atualizar os dados foi de extrema importância para definir a rota de continuidade dos trabalhos.
"Até porque a gente não sabe até que ponto as pessoas abandonam o tratamento ou são abandonadas pelo sistema de saúde porque não têm, porque o agente de saúde precisa ir atrás daquelas pessoas que estão fazendo tratamento prolongado. Essas pessoas precisam ter condições de pegar um transporte, de ir até o centro de saúde porque o tratamento tem que estar perto desse cidadão para que ele não abandone o tratamento. Ele tem que estar no posto de saúde do seu bairro, da sua região para que tenha facilidade de ac esso. Então a questão do abandono realmente é uma das mais graves que nós víamos." disse
Também conhecida como lepra, a hanseníase tem cura e se manifesta por meio de manchas no corpo com perda de sensibilidade, dormência, formigamento nos braços, mãos e pés e enfraquecimento. A hanseníase não é uma doença hereditária. A forma de transmissão é por via aérea, mas basta o tratamento ser iniciado para que o risco de contágio seja eliminado.

De Brasília, Silaine Bohry

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)