Cassilândia, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

11/05/2008 16:35

Índia casada com fazendeiro não admite abrir propriedade

Marco Antônio Soalheiro /ABr

Terra Indígena Raposa Serra do Sol (RR) - Indignação é o que a índia Celina Makuxi, de 51 anos, casada com o fazendeiro Raimundo Cardoso, sente diante da proposta prevista no decreto de demarcação da terra indígena onde vive com o marido. Pela proposta, Celina e o marido só poderiam permanecer na área se abrissem a propriedade para uso comum dos moradores da reserva.

“Queria saber se o Lula [presidente da República] vai abrir a casa dele para alguém estranho entrar lá. Eu comprei, paguei e não roubei minha terra de ninguém. O Lula não colocou um prego na minha casa”, reclama, nervosa, Celina, em voz alta e com os olhos marejados.

A propriedade do casal tem 1.500 hectares. Raimundo Cardoso, de 56 anos, conhecido como Curica, diz que tem certificado de posse de 1988, emitido pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, depois de pagamento de um valor estimado hoje em R$ 70 mil. “Não tem provas de que eu seja invasor”, disse o fazendeiro.

Curica também acusa índios de já terem roubado parte de seu gado. Ele afirma que a Fundação Nacional do Índio (Funai) ofereceu indenização de R$ 27 mil para que deixasse a terra, mas, por seus cálculos, teria de receber “no mínimo R$ 700 mil”.
Em frente à fazenda do casal, estão parados caminhões do produtor de arroz Ivo Barili, que aguardam a liberação da estrada RR-319, conhecida como Transarrozeira, bloqueada por índios que querem a saída dos produtores brancos da Raposa Serra do Sol. Curica critica a postura dos índios, que impedem a passagem de fertilizantes e sementes usados nas lavouras de arroz: “É uma agressividade, que nos tira o direito de cidadania, de ir e vir.”

O Supremo Tribunal Federal deve decidir nas próximas três semanas se os que não são índios poderão permanecer na Terra Indígena, ao julgar ações que contestam a demarcação em área contínua da Raposa Serra do Sol.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)