Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

25/04/2005 13:28

Importações de leite em pó prejudicam mercado brasileiro

Famasul Noticias

Os levantamentos dos preços de leite e derivados feitos pelo SimLeite, envolvendo o Cepea/Esalq, a Embrapa Gado de Leite e a OCB/CBCL mostram, com poucas exceções, um cenário favorável para cooperativas e laticínios entre janeiro e fevereiro nas cinco principais regiões leiteiras do País.

Entretanto, o aumento significativo do volume importado de leite em pó no mês de janeiro resultou em queda de 24% do preço deste produto no Rio Grande do Sul e de 19% no mercado paranaense em fevereiro. Os reflexos deste aumento da oferta foram sentidos também por outros derivados, escapando de queda somente o leite cru no Paraná e o leite UHT no Rio Grande do Sul.

Em fevereiro, com a entrada oficial da entressafra, muitos laticínios reajustam seus preços no mercado doméstico, e sinais destes movimentos surgem nas diferenças entre os preços máximos e mínimos praticados. As dispersões mais significativas foram observadas no principal centro consumidor do País, São Paulo, onde a variação para o queijo mussarela no atacado chega a ser de 148% no mês de fevereiro. Para o leite cru, as dispersões são naturalmente menores entre os preços máximos e mínimos, muito em função das políticas de relacionamento entre as cooperativas, proprietários de fazendas e os compradores.

LEITE CRU - No mês de fevereiro, a procura pela gordura do leite implicou grandes altas nos preços do leite cru integral, principalmente em Goiás. Neste estado, o preço médio exibiu um pico de elevação de 10,90% em relação a janeiro, substancialmente maior que as variações entre 1,41% e 2,13% vista nos demais estados.

LEITE PASTEURIZADO E UHT – Apesar de representarem apenas 26% do volume de leite processado no País, tanto o leite UHT quanto o pasteurizado são carros-chefe de vendas de muitos laticínios e cooperativas. Em fevereiro, os preços do leite pasteurizado mantiveram-se estáveis nos cinco Estados pesquisados, tendo variação máxima de 3,14% em Minas Gerais. Para o leite UHT, os maiores preços foram encontrados no Paraná, Goiás e em Minas Gerais. No Rio Grande do Sul, os preços médios no mês de fevereiro foram os mais baixos, apesar do reajuste de janeiro para fevereiro (7,29%) ter sido o maior dentre os Estados pesquisados. As variações entre os preços máximos e mínimos continuaram altas, no patamar dos 25% no Rio Grande do Sul e dos 35% em São Paulo.

QUEIJO PRATO e MUSSARELA – Dentre os derivados, o queijo prato apresentou uma elevação regular dos preços, com variação mínima no Paraná (0,96%) e máxima em Goiás (5,41%). O estado com tendência de alta mais evidente foi Goiás, onde os queijos mussarela e prato apresentaram elevação na média acima de 5%, em função principalmente do aumento no consumo do mercado paulista. Em Goiás e no Rio Grande do Sul, as médias dos preços da mussarela elevaram-se 6,25% e 5,72%, respectivamente; em Minas Gerais e São Paulo permaneceram relativamente estáveis, com queda de 0,96% e alta mínima de 0,76%. Já no Paraná, a desvalorização da mussarela foi de 7%.
Vale lembrar que nos queijos estão as diferenças mais significativas entre os preços máximo e mínimo. Para o prato, a amplitude chaga a ser de R$ 6,00 por quilo no atacado (87%) e para o queijo mussarela, aos R$ 7,00 por quilo (148%).

LEITE EM PÓ e MANTEIGA – De janeiro para fevereiro, o leite em pó caiu 19% no Paraná e 24,4% no Rio Grande do Sul, em função das 4.450 toneladas importadas no mês de janeiro, 144% a mais do que dezembro de 2004 e 50% a mais se comparadas a janeiro de 2004. Além das quedas bruscas de preços no Paraná e no Rio Grande do Sul, o leite em pó teve uma pequena queda em São Paulo (-0,8%); já em Goiás e em Minas Gerais, o produto teve altas de 1,83% e de 2,16%, respectivamente.
Os preços da manteiga tenderam à alta em Goiás (7,72%), à estabilidade em Minas Gerais e no Rio Grande do Sul, e à queda em São Paulo (-2,46%) e no Paraná (-3,24%).

Autor:
Embrapa





Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)